Segunda fase dos Valores Esquecidos em banco já tem data pra começar?

Confira todas as últimas informações da segunda fase do programa de valores esquecidos a receber do Banco Central

A segunda fase de pagamento dos valores ‘esquecidos’ em bancos estava prevista para se iniciar no dia 2 de maio, contudo, a greve dos servidores do Banco Central (BC), acabou interferindo na data de início do programa.

Em nota enviada na semana passada, o BC avisou que a greve acabou prejudicando o cronograma devido ao desenvolvimento de melhorias do Sistema de Valores a Receber (SVR).

Nesse sentido, o prazo acabou sendo adiado e ainda não há uma definição de quanto a nova etapa será iniciada. Todavia, o Banco Central informou que as novas datas serão comunicadas com a devida antecedência.

No total, o Sistema de Valores a Receber deverá devolver cerca de R$ 8 bilhões aos bolsos de pessoas físicas e empresas em todo país.

Primeira fase do SVR

A primeira fase de valores a receber começou no mês de fevereiro, onde do total de R$ 8 bilhões que serão devolvidos, cerca de R$ 3,9 bilhões foram liberados.

Segundo o Banco Central, das mais de 32 milhões de contas em bancos que possuem valores a receber, 36 mil pessoas tinham valores entre R$ 10 mil e R$ 100 mil para receber e 364,8 mil tinham entre R$ 1 mil e R$ 10 mil.

O levantamento do BC apontou ainda que 2,7 milhões de pessoas tinham entre R$ 100 e R$ 1 mil para receber; 6,6 milhões tinham entre R$ 10 e R$ 100; e 8,7 milhões tinham entre R$ 1 e R$ 10 para resgatar.

Por fim, de todo o contingente de pessoas com valores a receber, apenas 1.318 pessoas tinham mais de R$ 100 mil para recuperar no sistema. Por outro lado, 13,8 milhões receberam menos que R$ 1.

O dinheiro aos quais os brasileiros tinham para receber eram provenientes das seguintes situações:

  • Contas encerradas com saldo disponível;
  • Parcelas de empréstimo;
  • Tarifas cobradas indevidamente;
  • Cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários e participantes de cooperativas de crédito;
  • Recursos que costumam não ser pesquisados após encerramento de grupos de consórcio;
  • Capital a devolver em cooperativas de crédito.

Segunda fase do SVR

Quando a segunda fase de consulta do dinheiro esquecido começar, serão incluídas mais sete novas fontes de recursos que não foram sacados pelas pessoas.

Conforme o Banco Central, nesta segunda etapa R$ 4,1 bilhões serão devolvidos ao bolso dos brasileiros e são provenientes das seguintes situações:

  1. Tarifas cobradas indevidamente, não previstas em Termos de Compromisso assinados pelo banco com o BC;
  2. Parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, não previstas em Termos de Compromisso assinados pelo banco com o BC;
  3. Contas de pagamento pré-paga e pós-paga encerradas com saldo disponível;
  4. Contas de registro mantidas por sociedades corretoras de títulos e valores mobiliários e por sociedades distribuidoras de títulos e valores mobiliários para registro de operações de clientes encerradas com saldo disponível;
  5. Entidades em liquidação extrajudicial;
  6. Fundo Garantidor de Crédito;
  7. Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito.

Outra novidade para a segunda etapa comparada à primeira está na agilidade da consulta e recebimento dos valores esquecidos em bancos.

Isso porque na primeira fase o cidadão consultava se tinha algum valor a receber, onde, caso tivesse era programado um outro dia para poder consultar qual era o valor e solicitar o resgate.

Já na segunda etapa, no primeiro momento em que o trabalhador consultar que possui dinheiro esquecido, já será possível consultar qual é o valor e consequentemente solicitar o resgate.

Comentários estão fechados.