Segurança Digital: Confira dicas de como se proteger de crimes cibernéticos

Especialista da BitcoinTrade esclarece a diferença de crimes como phishing e malwares e dá de dicas de como se proteger

0

Muitas pessoas se sentem inseguras em investir em criptomoedas por não considerar o sistema de blockchain confiável.

Porém, o que a maioria não sabe é que o banco de dados utilizado para o armazenamento das transações, é inviolável, garantindo maior segurança e transparência ao investir.

O que é necessário ficar atento é à sua segurança cibernética para não sofrer com golpistas que se aproveitam dos seus próprios descuidos.

O sistema utiliza chaves públicas e privadas para que a movimentação seja feita, garantindo maior segurança ao usuário.

Mas o investidor também precisa fazer sua parte e tomar muito cuidado com seus dados de acesso.

“Escolher a sua carteira de investimentos é essencial, mas entender mais sobre como se proteger neste mundo tecnologia é muito importante, e por isso você precisa se ambientar com alguns termos como criptografia e backup de dados, entender como os ataques funcionam e adotar medidas para não se tornar um alvo fácil”, explica Daniel Coquieri, COO da BitcoinTrade, corretora especializada no mercado das criptomoedas.

Confira abaixo as dicas:

1. Saber o que é um ataque hacker

O primeiro passo é entender que um ataque hacker é quando um terceiro manipula o funcionamento de um computador ou seus sistemas operacionais e quais os crimes mais comuns.

Com isso, ele consegue ter acesso aos seus documentos, páginas acessadas e senhas salvas.

“O propósito maior do criminoso é o roubo de informações dos clientes ou o sequestro de dados com objetivo de extorsão virtual”, explica o COO.

2. Saber diferenciar os tipos de golpes

O segundo passo é entender quais são os tipos de golpes, para não cair em armadilhas cibernéticas, por falta de conhecimento. Veja os dois principais:

• Phishing:

Esta é uma das formas mais comuns e fáceis de um hacker e conseguir as criptomoedas de um usuário.

Essa estratégia é usada para obter dados pessoais, bancários e senhas. Os criminosos utilizam do envio de e-mails e chats para fisgar investidores para suas armadilhas.

Por isso, deve-se tomar muito cuidado com páginas que se assemelham às de bancos e exchanges, observando sempre se o link é, exatamente, igual ao utilizado pela empresa a qual você deseja acessar o site, pois os hackers costumam mudar apenas uma letra no link ou camuflá-lo para que o usuário não perceba que não é o site original que ele deseja acessar.

• Malwares:

Este é um software malicioso que permite que pessoas mal-intencionadas controlem o dispositivo que o usuário esteja utilizando, e assim consiga executar ou instalar plugins em seu sistema.

Desta forma, o criminoso tem acesso à cofres e senhas, históricos da navegação, dados e informações pessoais do indivíduo.

3. Cuidado com Chave de Segurança e Senhas

É imprescindível que o usuário jamais deixe exposta sua chave privada, ou seja, a senha exigida para fazer as movimentações de sua carteira de investimentos.

“Não adiantaria possuir todo o sistema criptografado se sua senha está de fácil acesso para qualquer pessoa utilizar.

E ao criar senhas, utilize combinações diferentes para cada site, evitando palavras óbvias e com uma variedade de caracteres”, pontua o especialista.

4. Ficar atento ao Spam

Outro ponto importante a ser levado em consideração dentro do ambiente virtual é quanto ao Spam.

Por mais que não esteja relacionado, diretamente, na hora de fazer os investimentos, o Spam pode ser a porta de entrada de ameaças digitais para seus dispositivos nos quais você fará suas transações online.

Ele pode ser definido como e-mails indesejados pelo remetente ou postagens, comentários e publicações que o usuário não pediu para receber, seja pelo e-mail ou redes sociais, por exemplo.

5. Realizar backup de dados e AntiSpam

Para evitar cair em sites que chegam pelo spam, é importante que sempre tenha um backup de dados atualizado, que não clique em e-mails cujo remetente você desconheça e que utilize um AntiSpam para filtrar a entrada de e-mails.

6. Ficar de olho nos links

É muito importante que você baixe apenas documentos ou aplicativos diretamente de sites e lojas oficiais e que evite baixar arquivos enviados por desconhecidos.

Dessa forma, você diminui os riscos de fazer o download de um vírus que pode contaminar seu computador.

7. Ter cuidado com a conexão

O cuidado com a sua rede de internet e dos dispositivos também é um ponto relevante, principalmente, se você faz transações online.

Então, certifique-se que possui um Antivírus atualizado, que realmente garanta a eliminação de softwares maliciosos, como vírus, spywares, dentre outras pragas virtuais.

Além disso, utilize firewall, que nada mais é que uma barreira que vai bloquear acessos indesejados ao sistema e também evite a utilização de conexões de internet públicas, como hotéis e restaurantes, prefira às redes mobile, 3G ou 4G.

Por BitcoinTrade é uma corretora de criptomoedas inteiramente voltada para o mercado brasileiro.