Segurança: Internet banking é o principal alvo de ciberataque




A ESET acaba de divulgar os resultados de sua mais recente investigação intitulada “CPL malware no Brasil: Entre trojans bancários e e-mails maliciosos”. O estudo reafirma a ascendência dos trojans (Cavalo de Troia) bancários no país e também aponta como os cibercriminosos utilizam um tipo especial de arquivos executáveis, os CPL (Control Panel Application), para propagar ameaças e como essa tendência tem evoluído nos últimos anos.

Para conseguir que as vítimas executem os arquivos maliciosos e tenham suas máquinas infectadas, cibercriminosos utilizam e-mails falsos como principal via de propagação. Assim fazem os usuários acreditarem que o anexo na mensagem é um documento com informação útil.



Entre as principais ferramentas para realizar o ataque estão documentos como um orçamento, fatura ou recibo; informações uma dívida ou situação bancária; documentos digitais usados no Brasil, como boleto bancário ou Nota Fiscal Eletrônica ou supostas fotos, vídeos e arquivos multimídia.

Uma vez que o trojan bancário é executado no equipamento, um cavalo de troia é descarregado de algum servidor e a URL se encontra com o CPL, em formato de texto simples ou criptografado. A partir desse momento, o trojan busca uma forma de persistir no sistema infectado e, em seguida, começa a coleta de dados bancários da vítima. Se as credenciais de acesso estiverem disponíveis, screenshots ou qualquer outra informação bancária serão enviadas para o cibercriminoso.

“Durante a investigação, os especialistas da ESET notaram que o Brasil possui um ecossistema de cibercrime diferente do resto da região da América Latina”, afirma Camillo Di Jorge, Country Manager da ESET no Brasil. “A maneira como as ameaças são desenvolvidas e distribuídas demandam uma dedicação dos cibercriminosos, que geram os seus ataques de forma personalizada, levando em conta as diferentes formas de operações eletrônicas”, diz.

A análise ainda revelou que o Brasil está entre os três países na América Latina onde mais cresce o uso serviços bancários. Além disso, metade dos usuários de redes sociais no país afirmam já terem feito pelo menos uma transação on-line durante o ano 2013. “Acreditamos que o aumento de transações online estimula os cibercriminosos investirem, ainda mais, esforços em suas campanhas ataque”, finaliza. (Com Decision Report)

[useful_banner_manager banners=16 count=1]

Comente no Facebook

Comentários

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

Anúncios