Sem recursos, governo desiste de antecipar a segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600

0

Estava marcado para começar nesta quinta-feira, (23) a antecipação da segunda parcela do Auxílio Emergencial, divulgado pela Caixa Econômica Federal, na segunda-feira, (20). Mas na noite de quarta-feira, o Ministério da Cidadania divulgou que não vai mais poder antecipar a segunda parcela do Auxílio Emergencial de R$ 600, como havia sido prometido pelo ministro Onyx Lorenzoni. A verdade é que faltou recurso, segundo o ministério, pela alta procura pelo o auxílio.

O fato é que vão ter que solicitar crédito suplementar para realizar os pagamentos. “”Tanto o Ministério da Cidadania quanto a Caixa manifestaram seu desejo de antecipar o pagamento da segunda parcela. No entanto, devido ao alto número de informais cadastrados e a determinação do governo em não deixar ninguém para trás, todas as expectativas foram superadas e tornou-se imperativo solicitar crédito suplementar para poder completar o atendimento a todos”, disse o ministério à imprensa.

Já estava tudo acertado para que a Caixa Econômica começasse a pagar no dia 23 de abril a segunda parcela do Auxílio Emergencial de R$ 600. Quem receberia primeiro seriam os nascidos em janeiro e fevereiro, que estavam inscritos no Cadastro Único ou inscritos através do aplicativo. O ministério deixou para maio o pagamento da segunda parcela, como divulgou em nota:

“É importante frisar que o objetivo é garantir o atendimento a todas as pessoas elegíveis de acordo com a lei aprovada. Desta forma, após a definição da suplementação orçamentária a ser feita pelo Ministério da Economia, iremos completar o atendimento da primeira parcela e anunciar o calendário de pagamento da segunda parcela do Auxílio-Emergencial no mês de maio. Todos os que forem elegíveis de acordo com a lei irão receber”.

O ministro Onyx disse que enviou uma nota técnica para solicitar ao Ministério da Economia a previsão para uma suplementação orçamentária o mais rápido possível. Também afirmou que seguiu uma recomendação da CGU – Controladoria Geral da União sobre as dificuldades pela falta de recursos para realizar os pagamentos.

“Cabe registrar que o recurso disponível para cada uma das três parcelas é de R$ 32,7 bilhões, já foram transferidos R$ 31,3 bilhões, e ainda serão avaliados cerca de 12 milhões de cadastros para a primeira parcela. Recebemos uma recomendação da Controladoria Geral da União (CGU) a este respeito”, disse Lorenzoni.

Agora, teremos que aguardar uma nova data a ser divulgada para o pagamento da segunda parcela do Auxílio Emergencial de R$ 600.

A certeza é que muita gente que já tinha feito planos com esse adiantamento, ficou completamente frustrado.