Será o fim dos boletos com o advento do PIX?

0

Diz a máxima que você descobre que entrou na vida adulta quando os boletos começam a aparecer para pagar. Sinal de que a pessoa começou a ter suas responsabilidades e assumiu compromissos financeiros.

O boleto é uma modalidade de pagamento que existe desde os anos 80 no Brasil e o formato como conhecemos hoje, com o código de barras, surgiu em 1993.

É um modelo bastante antigo e bastante propagado por todo o território nacional. Mas devido a implementação do PIX, por exemplo, no último ano, começaram algumas especulações sobre o fim do boleto.

Será o fim deste companheiro, ícone da vida adulta?

Vejamos:

Rumores sobre o fim do boleto

Nos últimos meses, começaram as especulações sobre o fim do boleto e o motivo para isso foi o aquecimento das contas digitais e o surgimento da grande novidade que é o Pix.

Modernizações agregadas às formas que realizamos pagamentos atualmente. Mas vale lembrar e enfatizar que o boleto como conhecemos hoje é um meio de pagamento que já existe há quase 30 anos.

Está muito bem consolidado e tem excelente receptividade por parte de quem paga e de quem recebe.

Portanto, pode se acalmar porque ele não será esquecido ou substituído tão cedo quanto se especula.

Geração Z X Boleto impresso

A chamada geração Z, nascidos entre os anos de 1996 e 2003, pagar boletos com código de barras é uma coisa ultrapassada e cafona e até mesmo brega.

Talvez essa seja uma das razões para se pensar que os dias do boleto estão no fim. Há opiniões divergentes.

Dados do Banco Central dão um exemplo da força do digital: em abril, o Pix superou a quantidade de transações feitas por Ted, DOC, cheque e boletos somados.

Já a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) afirma que o boleto “continua sendo um importante meio de pagamento”, e que não há perspectiva de que ele deixe de existir ou caia em desuso.

Designed by fizkes / shutterstock
Designed by fizkes / shutterstock

Processo gradual

Ainda segundo a Febraban, cerca de 6 bilhões de boletos são pagos anualmente no Brasil. Muitos pagadores de boletos ainda não estão no processo digital, por considerarem modernos demais e acatam o boleto impresso.

Com certeza ainda existe a tendência de que no futuro, os boletos caiam em desuso, mas isso ainda levará um tempo.

Você lembra do talão de cheques muito usado décadas atrás?

Eles ainda existem e há pessoas que usam as folhas de papel para fazer pagamentos. O cartão de crédito tomou bastante espaço, mas o cheque ainda é uma opção. Para alguns especialistas em economia, os boletos têm prazo de validade.

São da opinião de que daqui a 20 anos eles devem deixar de existir, por causa da mudança de gerações.

Alegam que o fenômeno deve ser em parte um efeito da pandemia, que acelerou a digitalização. No final de 2020, uma pesquisa da Febraban feita com o Ipespe (Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas) apontou que 84% dos brasileiros tinham acesso a bancos.

De acordo com o levantamento, 60% das pessoas passaram a utilizar mais os canais digitais por causa da pandemia.

Um dos impulsos foi o pagamento do auxílio emergencial, que acabou fazendo com que brasileiros abrissem suas primeiras contas em banco.

Conclusão

Já existem mecanismos digitais que funcionam como boletos, como o pagamento recorrente no cartão de crédito.

As transformações devem fazer com que as pessoas aprendam novas maneiras de gerir o seu dinheiro.

Para alguns indivíduos, os boletos têm uma função de controle financeiro: ter o documento em mãos ajuda a pessoa a entender que aquela conta existe e precisa ser paga.

Contudo uma coisa é certa.

Sejam os boletos, o PIX ou o cartão de crédito, uma coisa nunca mudará que são as contas a serem pagas todo início ou fim de mês. Bem vindo à vida adulta!!

Por: Ana Luzia Rodrigues