Qualquer mudança na Lei pode trazer consequências no dia a dia dos empreendedores e  por isso é preciso se atualizar constantemente.

É necessário entender essas transformações e como elas impactam na vida das empresas, levando em consideração o ponto de vista fiscal e tributário. 

Um exemplo: O Simples Nacional, você sabe se é melhor uma atividade estar enquadrada no Anexo III ou V?

Afinal você já ouviu falar ou sabe o que é Fator R do Simples Nacional?

Com algumas alterações na legislação que regulariza o Simples, através da Lei Complementar N° 155/2016, a maioria das empresas passaram a ter suas atividades transitando entre os anexos III e V.

E isto se dá pelo motivo de novos métodos de cálculos chamado de Fator R.

A diferença de impostos existentes entre esses dois anexos é significativa, e isto gera dúvidas, como, é melhor estar no Anexo III ou no Anexo V do Simples? O que é Fator R?  Pensando nisso preparamos este conteúdo  para esclarecer algumas dúvidas ,veja no decorrer da nossa matéria.

O que é Fator R do Simples Nacional?

Esse nome é dado ao cálculo realizado mensalmente para saber se uma empresa será tributada no anexo III ou V do Simples Nacional.

De acordo com os parágrafos §§ 5-J e 5-M do Art.18 da Lei Complementar n ° 123, se a razão entre a folha de salários ou folha de pagamento ( incluído o pró-labore) dos últimos 12 meses for igual ou superior  a 28 % , dependendo da atividade econômica, a empresa deixará de ser tributada no anexo V e passará a ser tributada no anexo III.

Mas o que são Anexos do Simples Nacional?

As atividades econômicas que podem ser beneficiadas com o Simples Nacional, são divididas em anexos. 

Cada um possui alíquotas progressivas próprias, ou seja, quanto maior o faturamento da empresa, maior o valor do imposto a ser pago, o que torna a cobrança mais justa.

Atualmente, o Simples Nacional está dividido em 5 anexos:

Qual é a importância do fator R nas pequenas e médias empresas?

É primordial que os empreendedores e gestores das pequenas e médias empresas estejam atentos do que é Fator R e em como ele pode impactar o dia a dia financeiro do negócio.

Através deste fator é possível pagar menos impostos, isso depende do anexo  Simples em que a empresa está enquadrada.

Geralmente o melhor é estar no Anexo III, por ter uma alíquota menor, porém, para isso é necessário fazer contas e avaliar qual o melhor cenário.

Optar ou Não pelo Fator R pode influenciar em várias questões da rotina da empresa, é preciso conhecer a Lei para entender como ele funciona.

Simples Nacional

Como devo calcular o Fator R do Simples Nacional?

O conceito de Simples Nacional mais claro é a explicação sobre seus anexos, vamos explicar o cálculo do Fator R e, dessa forma descobrir também como pagar menos impostos.

O primeiro passo é preciso ter o valor total da folha de pagamento da sua empresa e a receita bruta, ambos dos 12 últimos meses do período de apuração.

A base de cálculo do Fator R está determinada no §24 da lei complementar 123/2006:

§ 24.  Para efeito de aplicação do § 5o-K, considera-se folha de salários, incluídos encargos, o montante pago, nos doze meses anteriores ao período de apuração, a título de remunerações a pessoas físicas decorrentes do trabalho, acrescido do montante efetivamente recolhido a título de contribuição patronal previdenciária e FGTS, incluídas as retiradas de pró-labore.

A Lei complementar no §26, com a seguinte orientação:

§ 26.  Não são considerados, para efeito do disposto no § 24, valores pagos a título de aluguéis e de distribuição de lucros.

Agora que está ciente disso, veja a fórmula de cálculo do Fator R, ressaltando sempre que se trata de valor referentes aos últimos meses do mesmo período a ser apurado.

Fator R = massa salarial/ receita bruta

É primordial considerar também as regras descritas na resolução CGSN n° 140/2018, que dispõe sobre o Simples Nacional:

  • Caso a massa salarial for maior que 0 (zero) e a receita bruta igual 0 (zero), o fator R será igual a 0,28 ou 28%
  • Se a massa salarial e a receita bruta forem maiores que 0 (Zero), o fator R corresponderá divisão entre um valor e outro dos últimos 12 meses.
  • Se a massa salarial for igual a 0 (Zero) e a receita bruta maior do que 0 (zero), o fator R será igual a 0,01 ou 1%;

Qual é a importância do Fator R para a sua empresa?

Como falamos anteriormente o Fator R serve para que as empresas possam pagar menos impostos.

Este cálculo surgiu com o objetivo de incentivar a contratação de pessoal e assim reduzir as taxas de desemprego no Brasil.

E por isto, o Fator R reduz a carga tributária de empresas que têm custo mais elevado com sua folha de pagamento.

Sendo assim quanto maior o gasto com funcionários, menos impostos serão pagos, pois, a empresa consegue se enquadrar no Anexo III, que tem alíquotas menores.

Este cálculo é muito eficaz especialmente para os pequenos negócios, visto que a folha de pagamento acaba sendo um de seus maiores custos, impactando inclusive nos lucros obtidos.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Por Laís Oliveira