Site mostra previsão de quando você será vacinado, veja como usar

0

Um site faz uma previsão de quando você poderá ser vacinado contra a Covid-19. Ele usa como base, o estado onde a pessoa mora, idade e o ritmo de vacinação no país.

Na verdade, trata-se de um grupo de trabalho voluntário que lançou uma plataforma que estima quando uma pessoa será vacinada contra a Covid-19 no Brasil. Através do estado onde ela mora, a sua idade, também leva em conta se o estado em que o usuário mora, faz ou não parte do PNI (Plano Nacional de Imunização). A previsão considera o ritmo oficial da vacinação no país.

REUTERS/Dado Ruvic
REUTERS/Dado Ruvic

“Para deixar a ferramenta mais universal nós seguimos as regras do PNI, onde profissionais da educação, segurança entre outros serão vacinados após os +60 anos”, disse o criador do site, Renan Altendorf, em uma rede social.

“Quando vou ser vacinado”, é a plataforma que o usuário poderá ler o seguinte aviso sobre as previsões:

“As previsões podem mudar diariamente e estão suscetíveis a mudanças de regras e leis da federação, estados e cidades. Informe-se nos sites dos governos e com notícias de portais confiáveis. Atualizamos diariamente nossos dados com a média de 7 dias de vacinação por estado, esses dados são coletados diariamente pelo @coronavirusbra1″.

“A projeção da população brasileira e o recorte dos estados por idade são dados disponibilizados pelo IBGE. Para os grupos prioritários, leva-se em consideração a estratégia de vacinação contra Influenza/H1N1 de 2020 disponibilizado pelo DataSUS“, acrescenta.

No entanto, como o país demorou a iniciar a vacinação, as poucas opções de imunizantes permitidos no país, vem dificultando a campanha de combate a Covid-19.

O Brasil bateu recorde no número de mortes por Covid-19, nesta quinta-feira (8), chegando a 4.249 óbitos registrados em 24 horas. Com este dado, o país soma 345.025 mortes e 13.279. 857 casos de Covid-19 desde o início da pandemia, de acordo com dados consolidados pelo Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass).

Edição por Jorge Roberto Wrigt Cunha – jornalista do Jornal Contábil