Software auxilia na arrecadação do novo ISS

0

No dia 23 de setembro de 2020 entrou em vigor a Lei Complementar Nº 175, que modificou a apresentação e recolhimento do ISSQN (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza) para os serviços de planos de saúde e atividades financeiras. 

Essa lei tem impactos significativos a partir de 2021 devido à regra de transição para a partilha do produto da arrecadação do ISSQN entre o município do local do estabelecimento prestador de serviço e o município do domicílio do tomador do serviço, o que resulta nas seguintes alterações: 

– 2021: 33,50% da arrecadação do ISSQN pertencerá ao município do estabelecimento prestador de serviço e 66,50% ao município do domicílio do tomador do serviço; 

– 2022: 15% da arrecadação do ISSQN pertencerá ao município do estabelecimento prestador de serviço e 85% ao município do domicílio do tomador de serviço; 

– 2023: 100% da arrecadação do ISSQN pertencerá ao município do domicílio do tomador de serviço. 

Em relação às competências de janeiro, fevereiro e março de 2021, foi assegurada ao contribuinte a possibilidade de recolher o ISSQN e de declarar as informações objeto da obrigação acessória até o 15º (décimo quinto) dia do mês de abril de 2021, sem a imposição de penalidade. 

A lei, ainda, conceitua quem é o tomador de serviços. Pela Lei Complementar 175, conceitua-se tomador de serviços o contratante do serviço e a unidade em favor da qual o serviço foi estipulado. 

A regulamentação também estipula o padrão nacional de obrigação acessória, entretanto, como algo “diferente” de outras declarações: a obrigatoriedade do desenvolvimento de sistema eletrônico ficará a cargo do contribuinte. 

Designed by @pressfoto / freepik
Designed by @pressfoto / freepik

Em outras palavras, as próprias empresas terão de investir em softwares para agrupar os dados dos documentos fiscais, armazenar em formato de arquivo e enviar para os municípios, a fim de controlar e gerenciar suas atividades, o pagamento do imposto e a entrega das declarações acessórias de ISSQN. 

As empresas que já se utilizam de softwares capacitados, devidamente parametrizados e com todo suporte necessário para os usuários trabalharem, possuem mais tranquilidade, confiança e segurança nos dados prestados por meio das obrigações acessórias. 

Por: Johney Laudelino da Silva, especialista em Gestão Tributária e na Solução Fiscal GUEPARDO da NTTDATA, empresa de tecnologia especializada em processos de negócios e software. É formado em Ciências Contábeis e possui MBA em Gerência Contábil pelo IBPEX. 

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.