Software como Serviço: Quais são os impactos da crise no SaaS?

0

O surgimento do novo coronavírus, trouxe desafios inéditos às empresas.

Nunca houve uma crise com impacto tão drástico em tantos setores.

Embora, a necessidade de isolamento social, obrigue as instituições a se reinventarem e se posicionarem digitalmente, é interessante observar como se comporta o SaaS nesse momento, além de quais estratégias o nicho pode adotar para sobreviver.

Neste post, vamos mostrar dados e previsões sobre o setor, e indicar o que pode ser feito no momento.

Se você tem um negócio com essa tecnologia, vale a pena conferir!

Quais são os impactos da crise no SaaS?

Por se tratar de um vírus altamente contagioso (e até o momento, não há vacinas ou medicamentos específicos para cura), diversas cidades do mundo foram obrigadas a decretar o fechamento de empresas e comércios, a fim de diminuir a disseminação da doença.

Claro, que essa medida desacelerou a economia, e obrigou as pessoas a aderirem outros formatos de consumo, majoritariamente digitais.

Se já era observado essa transição dos negócios para a Internet, a crise provocada pelo COVID-19, acelerou ainda mais esse processo.

Você deve pensar: bom, se a resposta é ir para o digital, então todas as empresas desse setor estão lucrando com isso, certo? A resposta é: não! A verdade, é que boa parte das organizações, não estava preparada para uma mudança tão brusca e em tão pouco tempo.

A queda do faturamento fez com que muitos negócios, tivessem que encerrar as operações ou diminuir muito os gastos.

Elas não estavam preparadas para investir nessa transição.

Dados sobre a crise

Um estudo realizado pela Universidade de Harvard, aponta que será necessário adotar o distanciamento social intermitente até 2022.

Os bancos JP Morgan e Citigroup, afirmam que a pandemia deve provocar uma redução no crescimento global de mais de US$ 5 trilhões nos próximos dois anos.

IDC Worldwide, afirma que os gastos mundiais em TI, devem cair 2,7% este ano, já que a pandemia forçou as empresas a reverem o seu planejamento financeiro a curto prazo.

Enquanto o segmento de Software, terá um crescimento positivo, porém, inferior a 2%, boa parte, graças aos investimentos em nuvem.

Com a necessidade de isolamento e a adesão ao trabalho remoto, as organizações devem buscar cada vez mais Softwares e serviços em cloud.

No entanto, ainda é um número pequeno e com a queda nas atividades de todos os setores, as empresas de SaaS, também, devem sentir o impacto.

Como o modelo SaaS tem se comportado nesse cenário?

Embora seja uma situação nova, com um futuro totalmente incerto e sujeito à mudanças constantes, é essencial que as empresas se concentrem na construção de cenários e preparem os negócios para qualquer realidade que possa aparecer.

Apenas com esse trabalho, é possível se manter em alerta diante de qualquer desdobramento, minimizando os impactos negativos.

Algumas mudanças foram adotadas por boa parte das organizações do SaaS, a fim de mitigar os danos.

Formação de squads

A formação de equipes interdisciplinares já é comum em startups, empresas de tecnologia e outras que possuem uma abordagem mais moderna e dinâmica.

Impactos da pandemia no modelo SaaS

A recomendação já adotada por alguns negócios em SaaS, é formar um squad com representantes de vários setores, capazes de fazer reuniões virtuais em busca de soluções e planos de ação a curto e médio prazo.

A representação de todos os departamentos, traz as necessidades inerentes de cada um e permite encontrar respostas de maneira holística, que trarão benefícios para a empresa e ajudarão a superar as dificuldades.

Alteração nas estratégias de comunicação

Com as mudanças constantes ocorrendo nesse momento de crise, é essencial que colaboradores e clientes estejam bem informados.

Estamos em um ponto de decisão, no qual, algumas empresas sairão à frente e outras serão superadas.

Por isso, manter a unidade da empresa e o foco nos objetivos, é fundamental.

Para alcançar isso, é essencial manter uma estratégia de comunicação realmente eficiente, principalmente, se lembrarmos que boa parte dos seus colaboradores devem estar em home office.

Além de usar bons aplicativos e recursos para comunicação online, é importante estabelecer reuniões mensais ou quinzenais para alinhamentos, valorização dos funcionários e esclarecimento de estratégias.

Para os clientes, essa preocupação também é importante.

A organização precisa apostar em uma comunicação transparente e acolhedora, que passe a confiança necessária nesse momento tão delicado.

Investimento em políticas de retenção

Certamente, você já ouviu uma máxima do marketing, de que conquistar um novo cliente, custa 5 vezes mais do que manter o atual.

Com a retração econômica mundial, gastar mais, realmente, não é uma opção viável para nenhuma empresa.

A saída para proteger a organização agora e para diminuir os impactos futuros, é trabalhar a retenção dos clientes ao máximo.

O aumento dos cancelamentos de contratos é inevitável, porque muitas corporações não estavam preparadas para isso e realmente, não têm condições de manter os serviços.

Porém, é possível diminuir, fazendo uma análise cuidadosa e adotando estratégias.

Podemos classificar os clientes em três principais categorias:

  • churn inevitável, por fechamento da empresa;
  • risco médio, por fechamento da empresa caso piore a crise;
  • churn baixo, porque a organização consegue se manter (mesmo com uma queda do faturamento ou por ser de uma atividade essencial).

A fim de manter o cliente, estabeleça abordagens e planos flexíveis para cada situação, mesmo que tenha uma redução nos valores ou oferta de alguns serviços bônus por um curto período.

Otimização de formas de cobrança

As empresas com pagamentos recorrentes têm vantagens durante a crise deflagrada pela pandemia.

Quem faz a cobrança por cartão de crédito, consegue evitar a inadimplência, além de oferecer um método de pagamento mais prático e seguro.

Quem costuma operar por boletos, pode ter problemas nessa fase, afinal, o risco de que as empresas não cumpram com esses pagamentos, é grande.

Por isso, vale a pena instituir novas formas de cobrança, capazes de facilitar a adesão e incentivar o pagamento em dia.

Apresentamos aqui, algumas práticas adotadas por organizações de SaaS na crise.

Implementar essas mesmas estratégias, deve ajudar a sua empresa a atravessar esse momento com o menor risco possível, inclusive, a contornar dificuldades e garantir a sobrevivência da sua corporação.

Fonte: Iugu