Sou cabelereiro, posso me tornar MEI?

É muito simples e rápido abrir o MEI para cabeleireiro, confira!

cabeleireiro é o profissional que corta, tinge, descolore, hidrata e faz diversos tratamentos nos cabelos de homens e mulheres de todas as idades.

A atuação na área exige constante atualização, já que o mercado da beleza apresenta muita evolução, e as especializações podem funcionar como uma maneira de se destacar profissionalmente.

Você sabia que uma das profissões que mais solicitam a abertura de um MEI são os cabelereiros? Esta é uma das atividades que pertencem ao CNAE 9602-5/01: Cabeleireiros, manicure e pedicure.

Quais os requisitos para o cabelereiro se tornar MEI?

Para se formalizar como MEI, o cabelereiro precisar se atentar aos pré-requisitos principais, que são:

  1. ter faturamento de até R$ 81 mil por ano;
  2. não ser titular, sócio ou administrador de outra empresa.

Não poderá ser MEI quem:

  • tem idade inferior a 18 anos;
  • é estrangeiro com visto provisório;
  • é titular, sócio ou administrador de outra empresa;
  • possui renda bruta acima do limite do MEI (atualmente, R$81 mil);
  • tem interesse ou necessidade de contratação de mais de um funcionário;
  • é servidor público federal em atividade;

Mas vale lembrar que o salão de cabeleireiro não pode ser MEI. Somente o profissional que vai trabalhar de forma autônoma, sem vínculo empregatício. Para isso, é necessário estabelecer uma relação de parceria, delimitando o formato de comissões e pagamentos dos serviços. 

Quais as vantagens de ser MEI?

  1. Aposentadoria por idade ou invalidez;
  2. Afastamento remunerado por problemas de saúde (auxílio-doença);
  3. Salário-maternidade;
  4. Cobertura da Previdência Social estendida à família;
  5. Para a família: auxílio-reclusão;
  6. Para a família: pensão por morte;
  7. Pode negociar com órgãos públicos;
  8. Emissão de Nota Fiscal;
  9. Apoio técnico e suporte do Sebrae.

Como me tornar um MEI?

  1. Acesse o Portal do Empreendedor
  2. Clique em “Quero ser MEI” e, em seguida, em “Formalize-se”
  3. Crie uma conta “gov.br” ou acesse com o seu CPF, caso já tenha
  4. Siga as instruções em tela. Nessa etapa, serão solicitados os seus dados pessoais, tais como número de RG e CPF, número da declaração do Imposto de Renda, endereço residencial e telefone de contato
  5. Defina as atividades que serão exercidas, o nome fantasia da sua empresa e informe o local de onde irá trabalhar, por exemplo, de casa, via internet, em um endereço comercial etc
  6. Confira todos os dados informados, preencha as declarações solicitadas e finalize a sua inscrição.

Dica Extra do Jornal Contábil: MEI saiba tudo o que é preciso para gerenciar seu próprio negócio. Se você buscar iniciar como MEI de maneira correta, estar legalizado e em dia com o governo, além de fazer tudo o que é necessário para o desenvolvimento da sua empresa, nós podemos ajudar.

Já imaginou economizar de R$50 a R$300 todos os meses com toda burocracia, risco de inadimplência e ainda ter a certeza que está fazendo suas declarações e obrigações de forma correta.

E o melhor é que você pode aprender tudo isso em apenas um final de semana. Uma alternativa rápida e eficaz é o curso MEI na prática. Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que um MEI precisa saber para ser autônomo e nunca mais passar por dificuldades ao gerir o seu negócio.

Quer saber mais? Clique aqui e mantenha sua empresa MEI em dia!

Comentários estão fechados.