Aprovado na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) da Assembleia Legislativa, na última semana, o projeto de Thiago Albernaz (SD) que objetiva suspender a cobrança do Diferencial de Alíquotas (Difal) para micro e pequenos empresários, inscritos no simples nacional, pode ir a primeira votação nesta semana.

Albernaz explica que foi uma bitributação implementada por meio de decreto do Executivo, em fevereiro de 2018. Porém, segundo ele, somente por lei complementar é possível criar um novo imposto. “Traz uma inconstitucionalidade”, afirma ele.


Explicação

Ainda conforme o parlamentar, o Difal é a diferença de alíquotas de importação de mercadoria entre um Estado e outro. “Quando você adquire uma mercadoria para revenda e ela atravessa para Goiás, além de pagar a nota o ICMS, paga uma diferença de alíquotas entre Estados e isso é uma bitributação que tem ocorrido em nossos mercados com o micro e pequeno empresário”.

Para Thiago, isto encarece as mercadorias nas prateleiras e cria dificuldades de comercialização para o micro e pequeno empresário. “E traz uma dificuldade para nossa economia regional”.

Ele garante que o projeto pretende acabar com o Difal para dar essa maior competitividade. Além disso, ele explicita que aqueles que estão fora do simples nacional continuarão a pagar essa diferença de alíquotas. “Acredito que nesta semana deva vir a primeira votação”, diz otimista.

Dica: Atenção você contador ou estudante de contabilidade, conheça nosso treinamento voltado para contadores iniciantes, ensinando na prática procedimentos contábeis que todo contador precisa saber, mas que não se ensina na faculdade.

Tudo que você precisa saber para abrir, alterar e encerrar empresas, além da parte fiscal de empresas do Simples Nacional, Lucro Presumido e MEIs, Contabilidade, Imposto de Renda. Quer saber mais? Então clique aqui e não perca esta oportunidade!

Com Jornal Opção