Tecnologia: Dobra envio de declarações do Imposto de Renda por dispositivos móveis

Receita espera receber 700 mil documentos por tablets ou smartphones

IMPOSTO DE RENDA 201,Declaração IRPF 2019

Depois de anos com baixa adesão, o envio de declarações do Imposto de Renda Pessoa Física por dispositivos móveis disparou em 2019. Até as 18h de hoje (30), a Receita Federal tinha recebido 686.265 documentos por tabletsou smartphones, mais do que o dobro das 320 mil declarações enviadas por esse canal em 2018. Até o fim do dia, o Fisco espera receber cerca de 700 mil declarações por esse meio.

Segundo o supervisor nacional do Imposto de Renda, Joaquim Adir, os números mostram que o envio por dispositivos móveis está conquistando os contribuintes. “No início, os contribuintes estavam reticentes em relação à novidade, mas os dados mostram que o preenchimento e a transmissão da declaração pelo aplicativo da Receita vieram para ficar. De um ano para outro, foi mais de 100% de crescimento”, declarou.Envio da declaração do IR por smartphones e tablets dobrou – Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Disponíveis desde 2013, o preenchimento e a transmissão de declarações do Imposto de Renda por dispositivos móveis começou com pouca adesão. No primeiro ano, apenas 50 mil dos contribuintes (0,18% dos declarantes daquele ano) usaram o aplicativo da Receita para acertar as contas com o Leão.

O prazo de entrega da declaração do Imposto de Renda acaba hoje, às 23h59min59s. Até as 19h, mais de 29,6 milhões de contribuintes haviam enviado o documento, o equivalente a 97,2% do total. A Receita espera receber 30,5 milhões de declarações neste ano.

Segurança

O subsecretário de Arrecadação e Atendimento da Receita, Frederico Faber, negou que tenha ocorrido vazamento de dados fiscais da ex-presidente Dilma Rousseff. Ontem (29), advogados de Dilma afirmaram que um terceiro havia enviado uma declaração do Imposto de Renda usando o nome dela.

Segundo Faber, um contribuinte usou o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) e a data de nascimento da ex-presidente para enviar uma declaração no nome de Dilma sem o número do recibo de entrega da declaração anterior. De acordo com ele, a Receita cancelou a declaração anterior após advogados da ex-presidente entrarem em contato com o órgão. Mas Faber disse que os próprios sistemas do Fisco cancelariam a falsa declaração automaticamente, assim que Dilma enviasse a declaração verdadeira com o número do recibo.

O subsecretário explicou que a Receita opera com três níveis de segurança: declaração sem número de recibo, declaração com o número do recibo e declaração com certificado digital (assinatura eletrônica que custa cerca de R$ 200, obrigatória para grandes contribuintes). Caso uma declaração com recibo seja enviada no mesmo ano que uma declaração sem recibo, os sistemas da Receita substituem a declaração com nível de segurança inferior pelo documento com segurança superior.

Segundo Adir, a substituição automática de declarações sem recibo por documentos com recibo é relativamente comum, mas costuma ocorrer por distração de contribuintes que esquecem o número do recibo e reenviam os dados fiscais. Ele, no entanto, não passou estatísticas sobre essa situação. Apenas explicou que a declaração é trocada instantaneamente, sem a necessidade de entrar em contato com o órgão.

Em relação ao caso de Dilma, Faber disse que a Receita abriu investigação e tem meios para rastrear o IP (protocolo) da máquina de onde partiu a falsa declaração em nome da ex-presidente. Caso seja constatado dolo (intenção), o Fisco poderá acionar o Ministério Público.

Agência Brasil