Tecnologias para operar de maneira segura no distanciamento social

Soluções que vão de dispositivos móveis a cobots são aliadas na prevenção contra o coronavírus

0

O surto de COVID-19 impôs uma nova realidade para pessoas, famílias e empresas.

Medidas rígidas de distanciamento social, assim como de higienização, passaram a ser norma para negócios que seguem trabalhando ou que estão retomando suas atividades após a quarentena. 

“Em um momento como esses, temos que usar todos os recursos disponíveis para manter os negócios ativos e as pessoas saudáveis, e a tecnologia pode ser uma grande aliada neste desafio”, reflete o presidente da Zebra Technologies no Brasil, Vanderlei Ferreira.

Segundo ele, empresas de setores diversos, como varejo, comercio eletrônico, indústria, logística e saúde, podem se beneficiar do uso de soluções tecnológicas que minimizem ou eliminem o contato físico entre equipes e clientes.

Confira quatro tecnologias que podem ajudar os negócios a operar de maneira segura em tempos de distanciamento social:

Inteligência Artificial (AI)

A Inteligência Artificial, que conhecemos na nossa vida pessoal por meio de assistentes de voz como Siri e Alexa, está ajudando empresas dos mais diversos setores no atendimento ao cliente desde antes da pandemia.

É o caso de bancos, por exemplo, que disponibilizam chatbots que interagem com o correntista por meio de uma tecnologia baseada em algoritmos e aprendizagem automática.

O usuário digita sua dúvida e a inteligência artificial responde, podendo encaminhá-lo para uma central de atendimento caso o problema não seja resolvido. Em períodos de distanciamento social, o uso de um chatbot pode significar centrais de atendimento mais enxutas e facilmente adequáveis aos novos parâmetros exigidos no ambiente de trabalho.

Por meio do reconhecimento de objetos e da análise de imagens e vídeos, a Inteligência Artificial ajuda empresas dos mais diversos setores a trabalharem com equipes mais enxutas e com operações mais eficientes, automatizadas e baseadas em dados.

Internet das Coisas (IoT)

Nos Estados Unidos e em países da América Latina, sensores conectados por meio da IoT estão sendo usados para garantir que as equipes de um escritório, uma fábrica, uma loja ou galpão estejam mantendo a distância recomendada.

Localizados nos uniformes ou nos crachás de identificação dos funcionários, os sensores avisam o sistema quando duas pessoas estão muito próximas, fazendo soar um alerta.

Na área da saúde, a tecnologia também está sendo usada para medir a temperatura de pacientes sem que a equipe médica tenha que se aproximar, seja por meio de termômetros que funcionam a distância ou de sistemas onde o próprio paciente toma sua febre e carrega a informação no seu smartphone.

Dispositivos Móveis

Dispositivos móveis corporativos, como smartphones, tablets, concierges, soluções de personal shopper e impressoras, estão sendo usados em hospitais de campanha e postos de testagem drive-thru, garantindo um atendimento ao paciente mais seguro, simples e rápido até mesmo fora do ambiente hospitalar convencional.

Além disso, ajudam as equipes, quando possível, a manterem o distanciamento social ao possibilitarem que médicos e enfermeiros se comuniquem por mensagem de texto e de voz.

As soluções também viabilizam a atualização digital do prontuário do paciente e evitam o vai e vem de papelada, que pode ser uma fonte de transmissão do vírus.

Essas soluções e os benefícios que elas entregam também estão disponíveis para operações de setores como comércio eletrônico, varejo, logística e manufatura.

Com fluxos operacionais mais organizados e eficientes, é mais fácil de reduzir os movimentos e interações dos membros de um time.

Cobots e soluções de automação inteligentes

Os cobots, ou robôs colaborativos, foram criados para executar tarefas simples e interagir com os humanos, e já estão sendo usados no varejo dos Estados Unidos e de alguns países latino-americanos, Eles são úteis tanto na frente da loja quanto nos estoques e podem ser responsáveis por tarefas repetitivas, como localizar e levar produtos até a estação de empacotamento.

O uso de cobots deixa os profissionais livres para trabalhos mais estratégicos e, em tempos de distanciamento social, minimiza o número de pessoas no mesmo espaço.

Eles também podem ser usados em outros setores, inclusive no da saúde, para entregas de alimentos, exames e medicamentos, por exemplo.

Porém, não é necessário investir em robôs para aproveitar os benefícios da automação inteligente.

Soluções mais simples, como sensores, scanners e códigos RFID, também contribuem para o distanciamento social ao diminuir a necessidade de locomoção das equipes pelos depósitos em busca de produtos, por exemplo.

A Zebra (NASDAQ: ZBRA) empodera a linha de base de negócios em setores diversos como varejo/comércio eletrônico, manufatura, transporte e logística, saúde e outras indústrias para que elas alcancem vantagens competitivas.