TEF: Quais os tipos existentes e quem está obrigado a utilizar esse sistema

0

É muito difícil encontrar, atualmente, alguém que prefira o dinheiro físico ao digital. A preferência pelo dinheiro digital está em constante crescimento, principalmente em vendas de alto valor.

Justamente por esse motivo, os negócios que possuem um grande fluxo de transações, necessitam de um sistema que forneça uma forma segura e fácil de acompanhar as preferências dos clientes, facilitando cada vez mais o pagamento.

E uma das soluções para esse tipo de situação é o sistema TEF – Transferência Eletrônica de Fundos.

Ele permite a transação digital através da transmissão de informações financeiras relacionadas ao cartão de crédito.

Nesse artigo nos aprofundaremos mais neste assunto! Boa leitura!

O que o sistema TEF faz?

O sistema TEF  integra a automação comercial de uma empresa às fornecedoras do serviço de pagamentos de cartão de crédito.

Tais quais as maquininhas de cartão, o que permite que os pagamentos sejam feitos a partir de chips eletrônicos. Ou seja através de cartões de crédito e débito.

Outra possibilidade que o sistema TEF oferece é um maior número de bandeiras aceitas no estabelecimento. Oferecendo mais opções de pagamentos para os clientes.

De forma resumida, então, TEF é, portanto, uma solução de vendas integrada. Isso descarta a necessidade de o empreendedor ter várias máquinas de cartão, conseguindo unificar os processos.

Além disso, melhora e muito o controle das vendas por meio do registro automático de dados no sistema de gestão da empresa.

Embora o TEF já seja de uso comum entre as empresas que possuem um alto fluxo de transações diárias, ele também serve muito bem a empresas de menor porte. 

Isso porque o processo de gestão e controle do financeiro acaba ficando mais fácil.

Além disso, grande parte dos clientes fica satisfeita em realizar a compra com o dinheiro digital, seja ele em cartão de crédito, débito ou qualquer outro meio eletrônico.

Quais tipos de TEF existem?

Há três tipos de sistemas TEF.  A maior diferença entre eles são os métodos que utilizam para compartilhar as informações entre as empresas envolvidas no processo de transação.

Se a sua empresa deseja adicionar um meio de pagamento eletrônico ela pode contratar então os seguintes tipos de TEF: 

TEF Discado

O TEF discado funciona da seguinte forma: ele possui dispositivos chamados “PinPads” entre as linhas telefônicas dos estabelecimentos e dos sistemas bancários.

Através dessa ferramenta, compartilha-se as informações necessárias para a aceitação do pagamento através da rede telefônica.

Esse tipo de sistema geralmente possui respostas mais lentas do que os outros justamente por esse motivo.

POS

O POS é  um tipo de TEF muito parecido com o discado, por também se dar por via telefônica.

A diferença é que a comunicação se estabelece entre inúmeros terminais espalhados nos pontos de venda dos cartões, eliminando o uso dos computadores.

TEF IP

O TEF via IP é exatamente o que o nome sugere. A solução estabelece conexão entre as partes através de protocolo IP.

Isso torna a internet indispensável no processo de compartilhamento de informações digitais. 

Este é o tipo de TEF mais utilizado por empresas que possuem um alto fluxo de transações.

Para estas, o uso do TEF discado ou POS não suporta a alta troca de informações.

Além disso, essa solução tende a ser mais veloz, tendo em vista que a comunicação se estabelece através da internet.

TEF Dedicado

Essa é uma solução que estabelece a conexão através de linhas VPN (rede virtual privada).

Isso proporciona agilidade e rapidez no processo de compartilhamento de informações e, consequentemente, na aprovação da compra. 

Essa solução pode ser integrada também com a automação industrial da empresa, o que possibilita um único TEF concentrado, desde que as empresas possuam o mesmo CNPJ.

O uso do TEF é obrigatório?

O uso de uma solução TEF só passa a ser obrigatória a partir do momento que uma empresa fornece uma transação eletrônica, principalmente para fins fiscais.

O TEF consegue fazer um registro geral de todas as saídas de mercadoria de dentro de uma empresa, controlando de modo mais funcional e correto a tributação envolvida em cada transação. 

Quem está obrigado a utilizar a TEF?

Estão obrigados a utilizar a TEF contribuintes ou usuários de ECF (Escrituração Contábil Fiscal) que operam com o cartão de crédito ou débito automático por meio de uma conta corrente.

Mas antes de prosseguirmos nesse assunto, vamos entender melhor o que é ECF:

Designed by @master1305 / freepik
Designed by @master1305 / freepik

ECF é a sigla para Escrituração Contábil Fiscal que substitui a Declaração de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica desde 2014.

São obrigadas ao preenchimento da ECF todas as pessoas jurídicas, inclusive imunes e isentas, sejam elas tributadas pelo lucro real, lucro arbitrado ou lucro presumido, exceto:

I – As pessoas jurídicas optantes pelo Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Simples Nacional), de que trata a Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006;

II – Os órgãos públicos, às autarquias e às fundações públicas;

III – As pessoas jurídicas inativas de que trata a Instrução Normativa RFB nº 1.536, de 22 de dezembro de 2014;

De acordo com a  Instrução Normativa RFB nº 1536, de 22 de dezembro de 2014, é considerada pessoa jurídica inativa aquela que não tenha efetuado qualquer atividade operacional, não operacional, patrimonial ou financeira, inclusive aplicação no mercado financeiro ou de capitais, durante todo o ano-calendário.

O TEF é seguro?

As informações que passam pelas conexões TEF são muito importantes e podem gerar graves complicações a um estabelecimento se, porventura, acabarem caindo em posse de terceiros.

Por esse motivo, a contratação dessa ferramenta precisa ser realizada com muito cuidado e atenção.

Escolha uma empresa confiável, que forneça segurança e qualidade no serviço. Além disso, é importante conhecer um pouco sobre as soluções TEF, para que haja um melhor entendimento sobre o que está acontecendo em cada momento desde que o cartão é posto na máquina.

Dependendo do tipo de estabelecimento, é possível que a criação de um sistema próprio seja feita. 

Para que isso ocorra, é necessário o conhecimento de inúmeras certificações internacionais e regras que estabeleceram anteriormente para um uso correto da plataforma. 

Nestes casos, o recomendável é que se contrate uma empresa certificada e criar um sistema próprio somente no caso de não haver soluções capazes de solucionar o seu problema.

Por que usar um sistema de Transferência Eletrônica de Fundos?

A utilização de um sistema de TEF pode ser extremamente útil não só pelo ponto de vista da empresa como também do consumidor.

Entenda agora as vantagens de se adotar um sistema de transferência eletrônica de fundos:

Flexibilidade no pagamento

Este é um dos principais motivos por que as empresas costumam adotar o TEF: os consumidores possuem o costume de pagar com cartões de crédito e débito.

Portanto, se você não oferecer esses meios de pagamento, estará em desvantagem diante da concorrência.

Segurança

Este é um benefício de extrema importância e é uma forte razão para adotar um sistema TEF.

Isso porque, com ele, é possível eliminar os riscos de erros na hora de registrar o valor a ser pago na maquininha de cartão.

Nesse sentido, introduz-se os valores de maneira automática, descartando a possibilidade de fraudes ou erros de digitação no momento das cobranças.

Facilidade na compra

Com o TEF a compra acontece de forma muito mais segura e com comodidade não apenas para o vendedor como também para o consumidor, para o qual é um alívio não precisar fazer operações financeiras com dinheiro físico.

Maior controle financeiro

A TEF garante diversos benefícios, o principal deles é que a forma de controle das vendas se torna mais rigoroso.

Ela permite a integração bancária com dados referentes a suas vendas.

Assim, é possível registrar as informações diretamente na ferramenta de gestão que a empresa utiliza.

Isso propicia um ótimo controle financeiro, unificado e em um só lugar. 

Conclusão

Fornecer um método de pagamento eletrônico seguro e prático e que acompanha as tendências de mercado é essencial para o bom andamento de uma empresa atualmente.

O uso do TEF não é mais um diferencial competitivo, ele é uma exigência do atual mercado, e além de tudo, é muito fácil e barato se adequar para todos os benefícios que oferece.

Busque o tipo de TEF que melhor se adapte ao seu negócio e uma empresa confiável. Assim, tenha certeza de que isso vai levar o seu empreendimento para outro nível.

Fonte: Fox Manager