Trabalhador começa a deixar de comprar alimentos por causa da inflação

Legumes, frutas tiveram altas nos preços, o que vem fazendo as donas de casa mudar de ideia e deixar de comprar

O trabalhador começa a entrar em desepero, a inflação chegou a sua mesa e ele não está podendo comprar produtos da cesta básica. O que mais chamou a atenção foi o fato do alface, cenoura e tomate ficarem em média 100% mais caros.

Na quarta-feira (11), o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísitca) divulgou dados em que a cenoura ficou 178% mais cara, o tamate, 103%, nem o alface escapou, o valor disparou, chegando a 45%¨nos 12 meses até abril. A inflação está salgando a salada do brasileiro.

E não tem para onde correr, a gasolina foi a vilã que contribuiu sozinha com a inflação de abril, conforme informou o IBGE. Porém, os alimentos conquistaram a liderança das maiores altas de preço.

As donas de casa estão precisando fazer milagre! Legumes, frutas tiveram altas, ao irem à feira, elas estão deixando de comprar muita coisa. A batata inglesa teve uma alta de 60%, o melão 82% e o brócolis, 35,7%.

E pensa que é só isso? Tem mais! O frango em pedaços, que a dona de casa sabe que é uma alternativa mais barata, subiu 20%.

O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor) atingiu em abril 1,06%, a maior taxa desde 1996. O IPCA foi de 78,3%, o maior desde janeiro de 2003 (85,9%), segundo o IBGE.

E quem vai ao supermercado já anda com vontade de chorar, os preços estão nas alturas. O óleo de soja é o carrasco da cesta básica. 

Muitos brasileiros têm pavor de pensar que aquela maquninha de remarcar preços, que ficou famosa nos anos 80, possa voltar a ativa.

Comentários estão fechados.