O cenário desafiador gerado pela pandemia do novo coronavírus exigiu que as empresas buscassem novas abordagens, adoção de outras estratégias e posturas de trabalho para se manterem funcionando.

Acredita-se que muito do aprendizado e transformações geradas pelo isolamento será mantido após o término da pandemia.

Aprendizados que devem ser aplicados às empresas 

Recorremos a falas de especialistas para explorar as lições que empresários devem internalizar para terem sucesso na chegada do “novo normal”. 

As tendências destacadas pelos experientes nos campos dos negócios são: traçar novas estratégias, trabalho remoto e humanização. 

Novo normal e novo futuro

Uma das duras lições que deve ser aprendida é que as empresas não podem esperar a volta dos negócios “ao normal”. 

Essa é a opinião de Hari Abburi, executivo da The Preparation Company, empresa que ajuda CEOs a desenvolverem estratégias para serem mais competitivos e responsivos.

Para Abburi, os líderes de empresas que creem no retorno dos negócios como eram antes estão em enorme desvantagem.

“COVID-19 causará consequências permanentes ao futuro de todo o tipo de companhia em todo tipo de indústria”, afirma. 

Novas estratégias

Susan Guillory, presidente da Egg Marketing, empresa de marketing de conteúdo, apresenta o mesmo posicionamento.

“Indústrias inteiras vão mudar suas formas de operar”, informa.

A empresária aponta para a necessidade das empresas buscarem nova estratégias para estarem preparadas para o período pós-pandemia.

“Qual é a forma em que você tem conduzido os negócios? Essa forma provavelmente terá de mudar. Pensar sobre isso agora lhe ajudará a desenvolver um plano sobre como essas mudanças acontecerão”, diz aos leitores em seu post para a Forbes.

No contexto de mudanças que foram adiantadas e também forçadas, haveria algo positivo, entende Guillory.

“Uma coisa positiva que surgiu de tudo isso é que muitas empresas aprenderam a funcionar remotamente.” 

O trabalho remoto deve permanecer

A presidente da Egg Marketing compartilha uma experiência empresarial em que a pandemia forçou um melhoramento na forma de trabalhar.

Ela comenta que um grupo de funcionários obedecia a normas rígidas do setor financeiro porque trabalhavam com dados confidenciais dos clientes.

“Graças à crise, a empresa descobriu como criptografar aqueles dados para que o time pudesse trabalhar em casa e continuar a ajudar os consumidores.”, relata Guillory.

Ela espera que uma lição parecida possa ter sido aprendida pelos demais empresários. 

“Talvez agora você saiba que pode distribuir sua força de trabalho, o que pode economizar dinheiro. Talvez você possa oferecer o trabalho remoto como um privilégio para os novos contratados.” 

Por fim, ela aconselha que os empresários utilizem o que aprenderem como uma chance de melhorar a forma como conduzem os negócios.

O foco deve estar nas pessoas

O home office oferece vantagens financeiras, pois reduz gastos com manutenção do escritório, limpeza, transporte dos funcionário, entre outros custos, conforme explica Daniel Schwebel, gerente nacional da Workana, plataforma de empregos. 

Porém, aliado ao trabalho remoto, deve estar a preocupação com os funcionários e sua saúde.

Andy Bailey, CEO e fundador da Petra Coach, empresa de business coaching, diz que cuidar dos funcionários da companhia deve ser prioridade.

Na opinião do coach de negócios, as políticas das companhias devem ser flexibilizadas.

Os líderes devem ser empáticos e compreender, por exemplo, que a maioria das creches e escolas estão fechadas e isso afeta o cotidiano dos funcionários.

Atenção à saúde dos funcionários

“Os seus funcionários estão procurando formas para lidar com a crescente ansiedade acerca do coronavírus”, indica Bailey.

Ele enfatiza a importância de oferecer boas condições de saúde, assim como acesso a informações sobre o assunto.

Essa afirmação vai ao encontro do que aconselha Jeniffer Elaina, redatora especialista em planos de saúde.

“Apesar de estarmos vivendo um período econômico crítico, é importante que as empresas se esforcem para manter os planos de saúde de seus colaboradores. Em alguns casos, tentar pelo menos um plano de saúde com coparticipação é importante.”, Jeniffer orienta. 

Para a redatora, através dessa medida, a empresa mostra aos funcionários que se importam com eles e permite que os familiares tenham melhores condições de atendimento no caso de contaminação pelo COVID-19.

O cuidado com a saúde física e mental aliado ao trabalho remoto podem ser tidos como aprendizados que a pandemia proporcionou ao mundo empresarial.

A seguinte fala de Bailey traz diretrizes importantes para os empresários:

“Nada, eu repito, nada afetará mais sua empresa do que a saúde física e mental das pessoas. Como um líder, você não pode deixar essa crise complexa e que muda rapidamente afetar seu time. Você deve agir, e fazer isso agora para que seu time fique mais forte quando a pandemia acabar.“, conclui.