O trabalho remoto tem sido um tema bastante recorrente desde o início da pandemia. Para muitas empresas, inclusive, essa foi a única forma encontrada para continuar em operação e, sobretudo, garantir a segurança de seus funcionários.

Agora, mais adaptadas à nova realidade, as organizações começam a testar outros formatos de trabalho, mas grande parte já admite que o home office veio para ficar. Isso se deve ao fato de terem identificado que os resultados estão sendo bastante positivos, tanto para os negócios quanto para os funcionários.

No início da crise, muitas empresas foram obrigadas a reduzir salários e jornadas ou, até pior, demitir parte de sua força de trabalho.

Segundo dados recentes do Ministério da Economia, mais de 7 milhões de trabalhadores foram impactados por esse tipo de decisão, que no primeiro momento foi a única alternativa para garantir a sobrevivência de alguns negócios.

Nesse cenário, a área de T&D (Treinamento e Desenvolvimento) das empresas também foi afetada.

Apesar das dificuldades, o setor de Gestão de Pessoas entende a necessidade de os profissionais manterem o processo de aprendizagem para que possam crescer em suas carreiras e contribuírem com a inovação e o sucesso de suas companhias.

A eficiência dos treinamentos corporativos para o sucesso das estratégias empresariais é largamente reconhecida.

Um estudo do International Journal of Human Resource Management divulgado recentemente comprova isso, apontando que treinar funcionários aumenta de forma significativa a sua lealdade, a produtividade geral e a retenção de talentos.

O estudo, que durou cinco anos e analisou 150 empresas alemãs, mostrou que são inegáveis os bons resultados que os treinamentos trazem às organizações.,

Aqui no país, uma pesquisa realizada pela Thomas Brasil com seus clientes mostrou que 89% das empresas consultadas estão dispostas a investir em treinamentos a distância para seus colaboradores, exatamente por compreenderem a importância de manter a evolução de seus profissionais e o engajamento das equipes durante o trabalho remoto.

A pesquisa ainda buscou descobrir o nível de satisfação dos colaboradores em relação à atuação de seus gestores durante o trabalho remoto e, segundo os entrevistados, 54,2% concordam que eles estão conseguindo conduzir muito bem as equipes neste momento.

O número é representativo, mas poderia ser melhor, revelando que nem todos os gestores têm habilidades naturais para o gerenciamento a distância.

Para uma boa gestão remota, é necessário compreender os diferentes estilos comportamentais para poder apoiar os profissionais e, principalmente, para que eles não se sintam isolados durante este período.

Entre as temáticas de treinamentos mais desejadas pelos pesquisados, estão a gestão de equipes e o desenvolvimento de liderança, cada um desses temas com cerca de 30% da preferência, e, logo em seguida, a gestão de inteligência emocional e o desenvolvimento comportamental, com aproximadamente 20% de preferência cada.

Então, se você está entre os profissionais que acredita que é importante continuar se capacitando ou é um gestor que está buscando melhorar a forma como lida com suas equipes a distância, saiba que o mercado oferece uma extensa gama de treinamentos que podem ser feitos de forma remota.

Neste momento de tantas incertezas é necessário entender que o investimento na capacitação de suas equipes pode fazer uma grande diferença nos resultados futuros, não só para os negócios, mas também para a força de trabalho.

Ao perceber a preocupação dos gestores com o seu desenvolvimento, os profissionais sentem-se mais motivados a alcançar as metas e objetivos de suas empresas, engajando-se no seu sucesso e longevidade.

Por Rejane Matos, Gerente de Marketing do Grupo Soulan