Tudo sobre Gestão fiscal, e sua importância para as empresas

0

gestão fiscal é um dos caminhos mais seguros para manter as contas de uma empresa em dia e, em consequência, melhorar a sua saúde financeira.

Por isso, ela é também a melhor forma de reduzir a impactante carga tributária que, desde sempre, é um entrave ao desenvolvimento para negócios de todos os tipos no Brasil.

A propósito, com impostos não se brinca. Um estudo publicado na Folha de São Paulo mostra que, em 2019, a carga tributária brasileira bateu um novo recorde, chegando a 35,17%.

O Imposto de Renda para Pessoa Jurídica, no caso, foi quem puxou esse aumento.

Como fazer, então, para que a lucratividade não seja comprometida, considerando o peso que os impostos exercem sobre o orçamento?

Ou, ainda, que tipo de estratégias adotar para reduzi-lo de forma legal e em conformidade com as boas práticas?

Seja qual for o desafio, tenha certeza de que só pela gestão fiscal você encontrará respostas. 

Saiba mais lendo este texto até o final!

O que é gestão fiscal?

A gestão fiscal em uma empresa se relaciona aos processos de controle, apuração, e atualização de práticas relacionadas ao pagamento de impostos e tributos.

Por meio dessa vertente da administração e contabilidade de empresas, é possível estimar o quanto se pagará de impostos, o que, por sua, vez permite elaborar orçamentos mais precisos.

Em outras palavras, somente pela gestão fiscal, uma empresa pode se manter no controle da sua situação tributária e, por extensão, das suas finanças.

Como você deve saber, a mordida do Leão é sempre dolorosa e, sem mecanismos de contenção, fica difícil minimizar os gastos com impostos.

Além disso, a correta gestão fiscal é o que permite à empresa cumprir com suas obrigações principais e acessóriasevitando multas e juros junto ao Fisco.

Qual é a importância da gestão fiscal?

Ao entender o que é gestão fiscal, a sua importância fica clara.

Mas, para que não restem dúvidas, vamos esclarecer mais sobre os benefícios que ela gera à empresa.

Nesse sentido, vale dizer que o retorno gerado pela estratégia se dá de duas formas principais.

A primeira delas ocorre ao reduzir o volume de impostos a pagar por meio de práticas de elisão fiscal, por exemplo.

Outra, quando a empresa encontra maneiras de aproveitar os vários mecanismos de isenção e de aproveitamento de créditos tributários, minimizando a carga tributária.

Por isso, a gestão fiscal é fundamental para assegurar o lucro esperado em suas atividades e, em consequência, o próprio crescimento do negócio como um todo.

Assim, pagar impostos e tributos em dia, atender ao Fisco em todas as declarações exigidas da empresa e garantir a máxima economia possível nesses processos é o que justifica investir em uma correta gestão fiscal na sua empresa.

3 tarefas de gestão fiscal em pequenas empresas

Sendo um conjunto de práticas, existem tarefas e atividades típicas da gestão fiscal que devem ser de conhecimento obrigatório para quem pretende implementá-la.

Elas compõem a parte operacional da gestão e devem ser executadas conforme a estratégia de negócios e em acordo com a legislação.

Afinal, gestão fiscal é, antes de mais nada, uma forma inteligente de se tratar os impostos e de atender aos aspectos legais exigidos da empresa.

Dessa maneira, muito mais do que tarefas de rotina, ela vem a ser uma abordagem para reduzir a carga tributária.

Nesse sentido, entre as atividades que fazem parte da rotina do administrador, destacamos as três principais.

Acompanhe!

1. Emissão de notas fiscais

Um dos benefícios trazidos pelo Sistema Público de Escrituração Digital, o SPED, foi eliminar as notas fiscais emitidas em papel.

Com isso, a sua emissão e o armazenamento se limitam aos meios eletrônicos.

A versão mais moderna, no entanto, não reduz o compromisso da empresa com o documento.

Assim, é preciso ter na sua emissão uma tarefa obrigatória a cada transação.

Na venda de produtos, ela é a NF-e, o modelo clássico de Nota Fiscal Eletrônica.

Já na prestação de serviços, é a NFS-e, a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica.

E vale destacar que nem mesmo o MEI (Microempreendedor Individual), quando presta serviços a outra pessoa jurídica, está dispensado desse compromisso fiscal.

Compromisso esse, aliás, que exige bastante atenção do gestor.

Isso porque uma nota fiscal é formada por dezenas de campos, cujo preenchimento incorreto pode significar desde a perda de tempo com notas rejeitadas até multas.

Quando a empresa conta com uma correta gestão fiscal, evita esse tipo de erro em uma tarefa que, na maioria dos negócios, se repete com muita frequência.

2. Apuração de impostos

Esta é daquelas atividades essenciais para a manutenção de um negócio.

Toda empresa precisa pagar impostos – o que não é novidade.

Mas qual o valor a pagar

No caso de empresas optantes pelo Simples Nacional, por exemplo, esse é um compromisso mensal, que se repete a cada dia 20.

Portanto, o cálculo dos tributos é também uma tarefa de gestão fiscal.

Conforme o regime tributário adotado pela empresa, as regras de apuração, prazos e recolhimento de impostos podem mudar.

Quem se descuida, pode acabar pagando mais do que deveria ou menos do que a lei obriga.

Nos dois cenários, o prejuízo é certo.

Melhor não correr riscos negligenciando a gestão fiscal, concorda?

3. Entrega de declarações

A emissão da nota e a apuração dos impostos a pagar não encerram os compromissos fiscais da empresa.

Dependendo do tipo de empresa e do seu regime tributário, há diferentes declarações exigidas pelo Fisco.

Entre elas, podemos citar:

  • DIRF (Declaração do Imposto sobre a Renda Retida na Fonte) 
  • DEFIS (Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais) 
  • RAIS (Relação Anual de Informações Sociais) 
  • ECD (Escrituração Contábil Digital)
  • ECF (Escrituração Contábil Fiscal) 
  • DASN – SIMEI (Declaração Anual de Faturamento do Simples Nacional).

A lista da sua empresa pode trazer várias outras declarações que precisam ser apresentadas com periodicidade mensal ou anual.

Para que essa importante tarefa da gestão fiscal seja corretamente realizada e dentro de seus devidos prazos, vale recorrer ao suporte de um contador.

Desde a abertura da empresa até o seu fechamento, a escrituração se faz necessária e, sendo assim, deve ser feita sempre com apoio de especialistas.

Como fazer a gestão fiscal na sua empresa?

O que fazer para garantir que todas essas tarefas e processos sejam realizados corretamente, tendo em vista que erros custam caro?

De forma resumida, destacamos algumas das boas práticas que vão ajudar sua empresa a cuidar melhor dos seus impostos.

Duvida

Automatize processos

Como destacamos há pouco, uma nota fiscal contém dezenas de campos de preenchimento obrigatório.

Dessa forma, é impensável que tarefas assim dependam da mão humana para serem realizadas, certo?

Nesse caso, a solução é automatizar os processos por meio de sistemas capazes de realizar tarefas repetitivas e que exijam precisão.

Invista na contabilidade online

Emissão de notas fiscais, apuração de impostos, declarações a entregar.

Não pode o empreendedor julgar que dá conta sozinho da gestão fiscal.

E se o principal parceiro dele nessa tarefa é o contador, a forma mais segura, eficiente e barata de ter esse suporte é a partir da contabilidade online.

Mantenha-se atualizado

As leis fiscais e tributárias, no Brasil, são modificadas com relativa frequência.

Por isso, uma das boas práticas que os gestores devem adotar é estar sempre por dentro das últimas mudanças, ainda que em caráter estritamente informativo.

Na dúvida, converse com o seu contador para saber das últimas notícias.

Lembre-se: conhecimento é poder.

Gestão fiscal mais eficiente com apoio contábil

Por falar em contador, não há dúvidas de que a gestão fiscal se torna mais eficiente quando conta como o apoio desse importante profissional.

Só ele tem a formação e o conhecimento indispensáveis para solucionar os desafios diários que surgem em virtude das obrigações fiscais.

A orientação desse especialista é ainda mais importante quando a empresa passa a adotar estratégias de elisão fiscal.

Isso porque elidir impostos (e pagar menos dentro da lei) exige domínio das normas, dos processos, dos códigos e de tudo que cerca sua apuração e cobrança.

Um passo em falso nesse momento e a empresa pode vir a ser penalizada.

O lado bom dessa história é que, com a contabilidade online, os serviços de um contador estão muito mais acessíveis.

Qualquer empresa, até mesmo MEIs, podem ter um contador para orientar a respeito do que fazer para pagar menos impostos.

E a sua, tem tido bons resultados com os serviços contábeis prestados? Ou está na hora de trocar de contador?

Conclusão – Faça a gestão fiscal com a contabilidade online

Como vimos ao longo deste artigo, a gestão fiscal traz demandas diárias em uma empresa.

São compromissos para os quais não há como virar as costas ou procrastinar.

Além disso, ganha o empreendedor que vê na gestão fiscal não uma burocracia, mas uma oportunidade de agregar economia e eficiência a seus resultados.

Nesse sentido, uma boa forma de começar é utilizando os serviços de contabilidade online.

Essa é a missão da Contabilix: apoiar empresas brasileira para que desenvolvam a gestão fiscal em seus negócios com excelência.

DICA EXTRA JORNAL CONTÁBIL: O primeiro passo para contadores Curso sem enrolação, totalmente prático, você vai aprender todos os processos que um contador experiente precisa saber. 

Aprenda como abrir, alterar e encerrar empresas, além da parte fiscal de empresas do Simples Nacional, Lucro Presumido e MEIs. Tenha todo o conhecimento sobre Contabilidade, Imposto de Renda e muito mais. 

Está é uma ótima opção para quem deseja ter todo o conhecimento que um bom contador precisa ter, quer saber mais? 

Então clique aqui e não perca esta oportunidade que com certeza vai impulsionar sua carreira profissional!

Original por Contabilix