A Rede Globo comunicou aos patrocinadores de que não irá mais renovar o contrato para transmissão da Fórmula 1 em 2021, o que vai interromper uma história da categoria com o Brasil

yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7 - Rede Globo Logo

A transmissão da F1 acontece desde 1970 na TV aberta, e que ano que vem perderá seu espaço, deixando o brasileiro sem saber se outra emissora fará a transmissão. Entretanto, a transmissão em 2020 está garantida pela Globo.

Segundo O Estadão o motivo da emissora abandonar a Fórmula 1 vai de negociação frustrada, problemas na economia, falta de brasileiros na competição e a relação com os novos donos da F1.

Negociação frustrada

Um dos motivos da Globo desistir da competição automobilística esta no fato de haver um acordo com os novos donos da F1. A Globo queria pagar um valor inferior para continuar com a exclusividade, conforme informou o Estadão. Porém, a categoria não aceitou baixar o valor.

Dificuldades econômicas

O cenário de crise econômica provocado pela pandemia do novo coronavírus tem afetado tanto o mercado de patrocínio como também a própria emissora carioca. Recentemente a emissora obteve uma liminar na Justiça para adiar o pagamento de R$ 460 milhões para a Fifa pelos direitos de transmissão de Copa do Mundo e também comunicou a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) que pretende rescindir o acordo referente à Copa Libertadores. O que levou também a desistir da Fórmula 1.

Falta de brasileiros

O Brasil é o país onde a Fórmula 1 tem uma das maires audiência, mas a falta de brasileiros na competição, acabou fazendo os números caírem no Ibope. Brasil e China são um dos poucos países em que a Fórmula 1 é transmitida em TV aberta.
Desde a saída de Felipe Massa, no fim de 2017, o Brasil não tem representantes no grid.

Relação com os novos donos

Os novos donos da Fórmula 1, o grupo americano Liberty Media, tem com a Globo uma relação diferente do que era até o fim de 2016 com o antigo chefe da categoria, Bernie Ecclestone.

As conversas entre Globo e Liberty tiveram algumas divergências em relação a valores, como também o formato de transmissão.

Para complicar ainda existe a pandemia que mexeu com a economia, afetando o mercado de patrocínio como também a própria emissora.

Sendo assim, a partir de 2021, os fãs da Fórmula 1 vão ter que torcer para que alguma emissora brasileira tenha o interesse de transmitir o grid.

Edição por Jorge Roberto Wrigt Cunha – jornalista do Jornal Contábil