Vale a pena investir em Previdência privada?

Além de acumular patrimônio, é possível ter benefícios fiscais dependendo da modalidade de investimento

0

A preocupação em garantir uma aposentadoria mais confortável e tranquila financeiramente, sem depender somente do INSS, tem levado muitas pessoas a optarem por investimentos em previdência privada.

Além dessa aplicação oferecer rentabilidade no longo prazo, é possível encontrar outras vantagens dependendo da modalidade escolhida pelo investidor.

De acordo com Paulo Saad, assessor de investimentos da WFlow – escritório Private especializado em Assessoria Financeira e Patrimonial credenciado à XP Investimentos antes de investir em previdência privada, é necessário escolher a modalidade, o tipo de tributação e o fundo.

“Existem dois tipos de modalidade, sendo o PGBL indicado para quem faz a declaração anual do Imposto de Renda no modelo completo e deseja contribuir com até 12% da sua renda, e o VGBL indicado para quem faz a declaração no modelo simplificado”, afirma Saad.

O investidor tem a opção de escolher entre duas formas de tributação, a progressiva ou a regressiva.

Na progressiva, o IR recolhido no resgate será de 15% como forma de antecipação do imposto, podendo ter ainda um ajuste do valor sobre a diferença não paga até o limite de 27,5%.

Na regressiva, o IR será cobrado de acordo com o tempo de permanência da aplicação, quanto maior o período menor o imposto.

Como os planos de previdência privada possuem uma tributação diferenciada, os benefícios fiscais podem ser uma das vantagens desse tipo de investimento, como é o caso do plano PGBL.

“Na modalidade PGBL, por exemplo, o investidor que contribuir para um plano de previdência privada até dezembro, pode deduzir uma parte do valor investido da base de cálculo do Imposto de Renda. Porém, o desconto tem um limite de 12% dos rendimentos e o investidor precisa ter efetuado contribuições para o INSS”, ressalta Saad.

Na hora de escolher a aplicação, é importante levar em consideração o perfil de investidor, os objetivos para o futuro e estar atento as taxas que podem ser cobradas dependendo da corretora de investimentos.

Com a variedade de fundos disponíveis, ter o auxílio de uma assessoria especializada pode contribuir durante esse processo.