Ícone do site Jornal Contábil – Contabilidade, MEI , crédito, INSS, Receita Federal

Veja as novas regras para o empréstimo consignado do INSS

Imagem De Vergani Fotografia / Adobe Stock / editado por Jornal Contábil

Imagem De Vergani Fotografia / Adobe Stock / editado por Jornal Contábil

Em decorrência das condições vantajosas, os empréstimos consignados são muito procurados por aposentados e pensionistas do INSS (Instituo Nacional do Seguro Social), que por sua vez, podem colocar parte da renda do seu benefício como garantia de pagamento dos débitos. Justamente, por conta deste fator, que os juros cobrados no serviço são mais baixos.

Em 2020, devido aos impactos da pandemia da covid-19, foi aplicada uma medida que aumentava o limite  do empréstimo consignado para 40%, de modo a facilitar a contratação do serviço de crédito por parte dos assistidos do órgão. 

Contudo, esta ampliação esteve válida até 31 de dezembro de 2021. Assim sendo, este ano, os assistidos do órgão poderão utilizar apenas 35% do benefício na contratação do empréstimo, dado que limite do consignado voltou ao antigo percentual. 

Vale ressaltar que além da alteração no limite, o teto de juros cobrado na categoria de empréstimo irá aumentar. Confira no tópico a seguir, todas as mudanças previstas para o consignado do INSS. 

Empréstimo consignado do INSS em 2022

Em resumo, as mudanças são referentes ao percentual do benefício que pode ser comprometido no empréstimo consignado, ao aumento dos juros cobrados na contratação do serviço e ao prazo para quitar o débito. Confira mais detalhadamente cada uma delas a seguir. 

Limite do empréstimo consignado  

Juros do consignado 

Prazo para quitar o empréstimo 

Importante! Por fim, cabe salientar que este ano não está mais em vigor  regra que permitia reduzir para 30 dias o tempo de carência para o pedido de um novo empréstimo consignado após a contração de um anterior. Em 2022, este referido prazo volta ser de 90 dias.