Outubro rosa: Veja como funciona a Cirurgia de Reconstrução Mamária

0

Esta cirurgia é a grande esperança de todas as mulheres que sofrem de câncer de mama, pois, em alguns casos é necessário fazer a retirada total ou parcial da mama afetada por câncer. 

Muitas mulheres tem dúvidas sobre este assunto e aproveitando que estamos no mês do outubro rosa que é um mês de campanha sobre a conscientização para alertar mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama, vamos esclarecer algumas dúvidas sobre como funciona este procedimento. 

Esta reconstrução pode ser efetuada com prótese de silicone, se houver preservação da pele, pois, na maioria das vezes quando ocorre a retirada maior de pele, existe uma alternativa que é o uso de um expansor mamário, que é basicamente uma espécie de bexiga de silicone, ele é colocado abaixo do músculo do peito. 

Abdome 

Cirurgiões usam retalho do músculo reto abdominal, que é chamado de Tram, para a reconstrução da ama com tecido do abdome inferior (pele e gordura).

Neste caso não é usado implante mamário, ou seja, prótese de silicone.

Em casos de reconstrução tardia, pode ser usado enxerto de gordura para complementar o processo.

Muitos médicos dizem que é muito difícil usar o expansor mamário para expandir a pele, pelo fato da radioterapia deixar a mama mais dura. 

Mamilo

A reconstrução do mamilo é uma etapa posterior, que pode ser feita com retalhos de pele local para ter o relevo, pode também tirar metade da aréola da outra mama e fazer enxerto no outro lado.

Geralmente é muito usada para reconstrução do bico dos seios a pele da parte interna da coxa e da região, conhecida popularmente como virilha. 

Existem muitas mulheres que não se submetem a uma nova cirurgia e têm optado pela reconstrução das aréolas por meio da tatuagem. 

É importante que todas as mulheres estejam atentas que a mamografia é essencial para o diagnóstico precoce do câncer de mama, pois, o diagnóstico precoce pode ter a cura de 95% de chance. 

Tatuagem hiper-realista 

No mês do outubro rosa, é feito várias campanhas para o incentivo da mamografia, neste mês muitos tatuadores se solidarizam para tatuar gratuitamente a reconstrução da aréola por meio de tatuagem hiper-realista.

Já aconteceram muitos eventos que foram atendidas mais de 100 mulheres no Rio de Janeiro e Santa Catarina no mês de outubro. 

De acordo com Algumas questões importantes a serem consideradas:

  • A paciente pode optar em fazer a reconstrução mamária imediata ou tardia.
  • Algumas mulheres não querem pensar em reconstrução enquanto não elaboram e aceitam o diagnóstico de câncer. Nestes casos, a reconstrução deve ser decidida posteriormente, quando a mulher se sentir mais preparada para pensar no assunto.
  • A paciente não tem vontade de se submeter a outras cirurgias.
  • O resultado estético pode não ser o esperado.
  • A preocupação da paciente com a cicatriz.
  • A reconstrução mamária restaurar a forma, mas não a sensibilidade da mama. Com o tempo, a pele da mama reconstruída pode tornar-se mais sensível, mas não será como antes da mastectomia.
  • Uma cicatriz é o resultado natural de qualquer cirurgia, mas a morte celular (necrose) da pele da mama, do retalho, ou da gordura transplantada pode acontecer. A reconstrução imediata pode ser mais propensa a necrose. Se isso acontecer, uma nova cirurgia deverá ser feita para corrigir o problema, podendo ocasionar uma alteração na forma da nova mama.
  • A cicatrização pode ser afetada pela cirurgia, quimioterapia, radioterapia, tabagismo, alcoolismo, diabetes, medicamentos e outros fatores.
  • O cirurgião pode sugerir que a reconstrução seja postergada por inúmeras razões, como obesidade, anorexia ou problemas circulatórios. Caso a paciente seja fumante, o ideal é que pare de fumar pelo menos 2 meses antes da cirurgia para permitir uma melhor cicatrização.
  • Frequentemente também é necessária uma abordagem da mama contralateral (mama saudável), para permitir que o resultado estético final seja o mais simétrico possível.
  • Muitos médicos recomendam que as mulheres não façam a reconstrução imediata se tiverem indicação de radioterapia após a cirurgia. A radioterapia pode provocar problemas após a cirurgia e reduzir as chances de sucesso.
  • Conhecer as opções de reconstrução antes da cirurgia ajuda a paciente a se preparar para a mastectomia com uma visão mais realista do futuro.

Conclusão 

O objetivo do nosso texto foi explicar um pouco sobre como funciona o procedimento da reconstrução mamária.

É muito importante as mulheres estarem atentas sobre a  importância de fazer exames periódicos de mamografia, pois, um diagnóstico precoce a chance de cura é de 95%. 

Por: Laís Oliveira