Vem aí possível substituto do auxílio emergencial e Bolsa Família

0

Um novo projeto que pretende substituir o auxílio emergencial e o Bolsa Família está em análise pelo Ministério da Cidadania, dentre os principais pontos discutidos sobre o novo benefício diz respeito ao valor que pretende ser superior ao pago por ambos os benefícios atuais.

Para parlamentares o projeto pode começar a ser pago a partir de agosto, conforme declaração do senador Fernando Bezerra (MDB-PE) o novo programa, vai substituir o Bolsa Família e deve atingir um número maior de beneficiários.

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Real, dinheiro, moeda / Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Novo programa social

Atualmente o projeto está na mesa e em fase de estuados pelo Ministério da Cidadania, segundo informações a expectativa é de que até julho o projeto deve ser entregue para que os pagamentos possam iniciar em agosto, com o fim dos pagamentos do auxílio emergencial.

Com relação aos valores, a medida pagará mais do que a média atual do Bolsa Família que é de R$ 192, podendo chegar a valores inclusive maiores que da média do auxílio emergencial fixado em R$ 250.

A viabilidade do novo programa ficará por conta do Ministério da Cidadania que já é responsável pelo Bolsa Família, bem como pela formulação do auxílio emergencial. Ainda conforme especulado, os R$ 35 bilhões em caixa que estão sendo destinados ao Bolsa Família podem migrar para o novo programa, o que não afetaria os cofres da União e nem mesmo precisariam ser retirados de outros programas sociais para cobrir os gastos com o novo benefício.

Além disso, como cerca de 10 milhões de famílias que recebem o Bolsa Família estão agora recebendo os valores do auxílio emergencial, o montante que seria destinado para o pagamento do Bolsa Família está disponível como reserva.

Renda Brasil e Renda Cidadã

Vale lembrar que ao longo de 2020 o governo tentou substituir o Bolsa Família com dois novos modelos de programa de distribuição de renda, sendo eles o Renda Brasil e posteriormente o Renda Cidadã. No entanto, ambos programas não vingaram justamente por falta de recursos.

Viabilização do BIP

Além disso, o governo também estuda a criação do BIP (Bônus de Inclusão Produtiva) que se trata de um programa social que poderá ser lançado pelo governo federal. Em vias de regra, o benefício pode ser pago a trabalhadores informais e para jovens que não trabalham.

Além disso, o programa visa a criação de vagas de trabalho e os integrantes terão que participar de cursos de qualificação a distância.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a falar sobre a criação do BIP no dia 28 de abril, quando declarou que o governo lançará o programa. Segundo Guedes, a iniciativa de beneficiar cerca de 40 milhões de brasileiros, entre trabalhadores informais e outros cidadãos que receberam o auxílio emergencial.