Sublinhado rabiscado

Como saber se tenho margem para pedir novo empréstimo consignado?

Uma dúvida muito comum por parte dos aposentados e pensionistas do INSS e servidores públicos, é saber se ainda possuem margem para pedir novo empréstimo consignado.

Sublinhado rabiscado

Essa dúvida acaba se intensificando quando o segurado ou servidor já realizou um empréstimo e está em busca de outro, mas não sabe se possui margem para isso.

Sublinhado rabiscado

Vale lembrar que a margem consignável diz respeito a uma porcentagem do salário e dos benefícios que os servidores e aposentados recebem que podem ser comprometidos com a contratação de empréstimos consignados.

Sublinhado rabiscado

Quando falamos de empréstimo pessoal, a melhor opção para qualquer cidadão diz respeito ao empréstimo consignado, pois, como o desconto da parcela é efetuado diretamente na folha de pagamentos é possível contratar empréstimos com menores taxas de juros.

Sublinhado rabiscado

Como descobrir se ainda tenho margem?

A consulta para os aposentados e pensionistas pode ser realizada através do extrato do INSS acessado pela plataforma Meu INSS. No caso dos servidores públicos, a consulta pode ser feita no holerite ou contracheque emitido através da plataforma SouGov.

Sublinhado rabiscado

É importante destacar que as instituições financeiras ou correspondentes bancários também podem confirmar exatamente qual o valor disponível.

Sublinhado rabiscado

Muitos segurados também se questionam se existe possibilidade para liberar mais margem de crédito consignado, nesse sentido, é possível conseguir através do refinanciamento do contrato, ou da portabilidade do crédito.

Sublinhado rabiscado

No caso do refinanciamento do contrato, o vigente pode ser renegociado direto com o banco, que acaba alterando as condições de pagamento, prazos, parcelas ou refinanciando o saldo devedor. Dessa forma, em alguns casos é possível que o cliente receba um “troco”.

Sublinhado rabiscado

Já na portabilidade do crédito, o contrato é transferido para outro banco, um dos principais motivos para essa atitude é a oferta de uma taxa mais vantajosa. Dessa forma, com taxas melhores o valor do contrato pode ser reduzido, assim como parcelas, o que liberará uma nova margem “extra”.