Separador de seção preto
Seta curva

Quem trabalha CLT pode abrir uma empresa?

Sublinhado rabiscado 2

Nada na legislação proíbe o trabalhador com carteira assinada de registrar o CNPJ em seu nome.  No entanto, o contrato de trabalho com cada empresa pode diferir, neste caso, deve-se assegurar que o empregador tem quaisquer objeções.

Imagens por Freepik

Separador de seção preto
Seta curva
Sublinhado rabiscado 2

Normalmente há uma cláusula no contrato de trabalho que proíbe você de abrir um negócio que concorra diretamente com a empresa para a qual você trabalha CLT. Portanto, abrir um negócio por conta própria será considerado ilegal.

Separador de seção preto
Seta curva
Sublinhado rabiscado 2

Esse tipo de cláusula costuma ser comum em algumas empresas, principalmente devido a segredos comerciais e / ou industriais, sendo recomendável que você leia sempre o seu contrato de trabalho e certifique-se de que ele permite que você abra sua própria empresa.

Separador de seção preto
Seta curva
Sublinhado rabiscado 2

Agora, outra coisa que você precisa prestar atenção é o seu tempo ativo em outras empresas para que elas não se sobreponham ao seu trabalho. Portanto, lembre-se de planejar.

Separador de seção preto
Seta curva
Sublinhado rabiscado 2

Um adendo importante aqui é que em caso de demissão se você possuir um CNPJ ativo você não terá direito ao seguro desemprego.

Separador de seção preto
Seta curva

Sou funcionário público, posso abrir uma empresa?

Sublinhado rabiscado 2

É compreensível que os servidores públicos não possam abrir suas próprias empresas, nem participar de quaisquer outras empresas como sócios. No entanto, se você for apenas um sócio de investimento, a lei permite que o faça.

Separador de seção preto
Seta curva
Sublinhado rabiscado 2

Os funcionários públicos são a única exceção prevista na lei. Caso seja um funcionário do Estado, deverá cumprir uma série de obrigações estabelecidas no sistema jurídico da União. Na Lei n.º 8.112 / 90, determina-se: “Art. 117. Ao servidor é proibido: (…)

X — participar de gerência ou administração de sociedade privada, personificada ou não personificada, salvo a participação nos conselhos de administração e fiscal de empresas ou entidades em que a União detenha, direta ou indiretamente, participação no capital social ou em sociedade cooperativa constituída para prestar serviços a seus membros, e exercer o comércio, exceto na qualidade de acionista, cotista ou comanditário; (Redação dada pela Lei n.º 11.094, de 2005)”.

Sublinhado rabiscado 2
Sublinhado rabiscado 2