17°C 28°C
Uberlândia, MG

Idec e Procon/SP assinam compromisso em defesa da regulação de planos da saúde coletivos

Iniciativa tem o objetivo de sensibilizar autoridades da necessidade de avanços na agenda da regulação de planos coletivos

01/03/2024 às 17h55
Por: Bia Montes
Compartilhe:
Regulação de Planos de Saúde Coletivos / Imagem freepik
Regulação de Planos de Saúde Coletivos / Imagem freepik

A Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) e a Fundação Procon/SP assinaram, nesta quinta-feira (29/02), um compromisso para atuação conjunta pró-regulação dos planos coletivos na saúde complementar, com objetivo de sensibilizar autoridades quanto a necessidade de compromissos e avanços na agenda da regulação destes planos.

Continua após a publicidade

As entidades buscam a proibição das condições atuais de cancelamento unilateral dos contratos e planos por parte das empresas; a necessidade de padronização das cláusulas de reajustes em todos os contratos coletivos; a criação de regra de reajuste por agrupamento, por operadora, para todos os planos coletivos de adesão, dentre outros. 

Leia também: https://www.jornalcontabil.com.br/noticia/80508/planos-de-saude-tem-a-obrigacao-de-cobrir-testes-da-dengue-confira

Também o estabelecimento de um parâmetro de razoabilidade para os aumentos de preços de planos coletivos maiores de 30 vidas; a obrigatoriedade de apresentação completa do contrato coletivo e dos dados usados no cálculo de reajuste e de sinistralidade, para os consumidores; a equiparação dos planos contratados por MEI aos planos individuais; e a possibilidade de as operadoras venderem planos coletivos diretamente aos consumidores, sem intermediação.

Para o diretor executivo do Procon-SP, Luiz Orsatti Filho, "a efetiva proteção dos consumidores dos planos de saúde coletivos passa por essa urgente necessidade de regulação, com exemplo face o cancelamento unilateral do contrato envolvendo idosos, deficientes e pessoas com transtorno de espectro autismo, entre outras práticas".

Continua após a publicidade

Na avaliação destes órgãos de defesa do consumidor é de fundamental importância a imediata e adequada regulação para os respectivos planos coletivos, sendo que o próprio corpo técnico da ANS já elaborou parecer sobre o tema, sugerindo avanços necessários.

De acordo com a diretora executiva do Idec, Carlota Aquino Costa, "a agenda mais urgente de quem contrata plano de saúde hoje são os elevados reajustes e a questão do cancelamento unilateral. Autoridades como a ANS, o Ministério da Saúde e o Ministério da Justiça precisam atuar para dar uma resposta satisfatória à sociedade, no sentido de limitar a liberdade excessiva que os planos têm".

Leia também: https://www.jornalcontabil.com.br/noticia/80199/unimed-cancela-planos-de-saude-coletivos-para-pequenas-empresas

Atualmente, os planos coletivos representam mais de 80% do mercado e não são regulados pela ANS, o que vem provocando distorções, desequilíbrios e riscos para todos os consumidores destes serviços.

Continua após a publicidade

Esta iniciativa que visa proteger milhões de consumidores de todo o país contempla, em especial, uma agenda permanente de interlocução com órgãos e autoridades, bem como realização de seminários sobre o assunto o primeiro deles, previsto para a segunda quinzena de abril.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Uberlândia, MG
18°
Parcialmente nublado

Mín. 17° Máx. 28°

18° Sensação
2km/h Vento
68% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h25 Nascer do sol
05h57 Pôr do sol
Qua 29° 18°
Qui 30° 18°
Sex 29° 18°
Sáb 29° 20°
Dom 29° 21°
Atualizado às 03h08
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,17 +0,04%
Euro
R$ 5,51 +0,04%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,43%
Bitcoin
R$ 362,743,39 -0,45%
Ibovespa
125,573,16 pts 0.36%