17°C 30°C
Uberlândia, MG
Publicidade

Médicos do INSS: Recusa ao sistema pode levar à exclusão de programa

Médico que recusar sistema do INSS pode ser excluído de programa de gestão

11/07/2024 às 10h58 Atualizada em 11/07/2024 às 16h50
Por: Esther Vasconcelos
Compartilhe:
Médico que recusar sistema do INSS pode ser excluído / Imagem Freepik
Médico que recusar sistema do INSS pode ser excluído / Imagem Freepik

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) anulou uma liminar e manteve a responsabilidade dos médicos peritos federais de realizar a análise de conformidade de atestados médicos.

Aqueles que se recusarem a examinar os documentos pelo sistema Atestmed poderão ser excluídos do Programa de Gestão e Desempenho da Perícia Médica Federal.

O Atestmed é um sistema utilizado pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para a realização de perícias médicas por meio de análise documental, visando a concessão do benefício de auxílio por incapacidade temporária. O sistema busca conferir maior eficiência às perícias médicas, tendo gerado uma economia de R$ 1 bilhão aos cofres públicos nos últimos dez meses, conforme estudos do Ministério da Previdência Social.

A Associação Nacional dos Médicos Peritos da Previdência Social acionou a Justiça para impedir que os integrantes da categoria que se recusassem a utilizar o Atestmed fossem excluídos do programa de gestão pela administração pública.

Leia Também: Greve no INSS: Servidores paralisam serviços por reajuste salarial

Decisão do TRF-1

O TRF-1 rejeitou o pedido da associação e alterou a decisão de primeira instância que havia concedido a liminar. No recurso aceito pelo tribunal, a Advocacia-Geral da União (AGU) argumentou que a adesão ao programa de gestão é facultativa, mas condicionada ao cumprimento, pelos peritos, de atividades preestabelecidas, incluindo a análise de atestados médicos pelo Atestmed.

O desembargador federal Urbano Leal Berquó Neto reconheceu que todo o programa e suas atribuições estão previstos em atos normativos, não havendo ilegalidade na exclusão de servidores que não cumpram os requisitos pré-definidos para a manutenção no programa.

A decisão também afirmou que a exclusão dos peritos do programa de gestão não é uma punição disciplinar, mas um ato de gestão discricionário da administração pública.

Leia Também: INSS: Saiba como solicitar o adicional de 25% na sua aposentadoria

Atuação da AGU

A AGU atuou no processo por meio da Procuradoria-Regional da 1ª Região (PRU-1) e da Consultoria Jurídica do Ministério da Previdência Social (Conjur-MPS).

O advogado da União, Rafael Tawaraya Gualberto de Carvalho, destacou a importância da presença do presidente do INSS, representantes da Conjur do MPS e do corpo técnico no despacho com o relator do agravo de instrumento, para demonstrar a relevância da política pública, a redução de filas no INSS e a economia ao erário.

A decisão do TRF-1 mantém a atribuição dos médicos peritos federais de analisar atestados médicos pelo sistema Atestmed, garantindo a continuidade do Programa de Gestão e Desempenho da Perícia Médica Federal e reforçando a eficiência das perícias médicas realizadas pelo INSS.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Uberlândia, MG
25°
Tempo limpo

Mín. 17° Máx. 30°

24° Sensação
3.09km/h Vento
31% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h46 Nascer do sol
05h50 Pôr do sol
Sáb 28° 16°
Dom 28° 15°
Seg 29° 16°
Ter 29° 16°
Qua 30° 16°
Atualizado às 20h06
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,43 +0,00%
Euro
R$ 5,93 +0,00%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,05%
Bitcoin
R$ 333,270,13 +0,54%
Ibovespa
128,896,98 pts 0.47%
Publicidade
Publicidade