“A sociedade espera investigação”, diz Alckmin sobre operação contra Bolsonaro

Bolsonaro foi alvo de operação, nesta manhã, que apura suspeita de fraude em dados do cartão de vacina

Compartilhe
PUBLICIDADE

Na manhã desta quarta-feira (3), o vice-presidente Geraldo Alckmin declarou que os acontecimentos revelados pela operação da Polícia Federal, que resultou na prisão de assessores do ex-presidente Jair Bolsonaro, requerem uma investigação.

A operação nomeada de Verine, tem como objetivo investigar suspeitas de fraude nos dados do Ministério da Saúde.

Alckmin enfatizou a importância de uma investigação para atender às expectativas da sociedade e esclarecer os fatos.

“Eu vi pela televisão e o que precisa é ter investigação. O que a sociedade espera? Investigação. O importante é que haja investigação e que as coisas sejam esclarecidas”

Geraldo Alckmin

Alckmin fez tal declaração a jornalistas na manhã desta quarta-feira (3/5), no Palácio do Planalto.

Busca e apreensão na casa de Bolsonaro

Além das prisões de assessores de Jair Bolsonaro, a operação da Polícia Federal também incluiu uma busca e apreensão na residência do ex-presidente, localizada em um condomínio no bairro do Jardim Botânico, em Brasília.

Bolsonaro estava presente na casa durante a ação. No entanto, ainda não foram divulgados detalhes sobre o que foi apreendido na busca.

O caso em questão está sendo investigado no âmbito do inquérito das milícias digitais, que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF).

Polícia Federal faz busca e apreensão na casa do ex-presidente Jair Bolsonaro. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A operação realizada pela Polícia Federal resultou na prisão de seis pessoas ligadas ao governo do ex-presidente Jair Bolsonaro, e outras 17 pessoas foram alvo de mandados de busca e apreensão.

Entre os presos está o ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, o tenente-coronel Mauro Cid, além dos assessores pessoais do ex-presidente Max Guilherme e Sérgio Cordeiro, que trabalhavam no Palácio do Planalto.

Ainda não foram divulgados detalhes sobre as acusações contra os investigados.

Leia Também: Bolsonaro Na Mira Da PF: Acusação De Fraudar Cartão De Vacina

Dados falsos

A Polícia Federal (PF) está investigando se os dados de cartão de vacinação do ex-presidente Jair Bolsonaro e de sua filha, Laura Bolsonaro, de 12 anos, foram alvo de alterações.

As investigações da Polícia Federal indicam que dados falsos foram inseridos nos sistemas do Ministério da Saúde com a ajuda de Mauro Cid, ex-ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro.

Durante a pandemia da COVID-19, Jair Bolsonaro se manifestou diversas vezes contrário à vacinação e chegou até mesmo a questionar a eficácia da vacina.

Ademais, o ex-presidente determinou que seu cartão de vacinação fosse mantido em sigilo por 100 anos.

Suspeita-se que ele tenha falsificado seu cartão de vacinação, bem como os de familiares e assessores, com o objetivo de garantir sua entrada nos Estados Unidos.

Em dezembro de 2021, Bolsonaro afirmou que sua filha Laura não seria vacinada contra a COVID-19.

Conforme a Polícia Federal, os dados falsos foram incluídos nos sistemas do Ministério da Saúde entre novembro de 2021 e dezembro de 2022.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitarconsulte Mais informação