Arrecadação de impostos estaduais teve queda real de 13,9% no mês de fevereiro deste ano

Queda foi causada pela redução das alíquotas de ICMS, principal tributo do Rio Grande do Sul.

Compartilhe
PUBLICIDADE

O desempenho da arrecadação de impostos estaduais no Rio Grande do Sul fechou o mês de fevereiro com balanço negativo na comparação com o período equivalente de 2022. Ao todo, foram R$ 3,31 bilhões arrecadados no segundo mês de 2023, valor 13,9% (R$ 535 milhões) inferior ao registrado no ano passado, em números atualizados pelo IPCA e considerando o regime de caixa, que apropria as receitas ao período de seu efetivo ingresso aos cofres públicos.

O resultado é composto pela soma do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual, Intermunicipal e de Comunicação (ICMS), do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e do Imposto sobre Transmissão “Causa Mortis” e Doação de Quaisquer Bens e Direitos (ITCD). A queda foi ocasionada pela variação negativa do ICMS, principal tributo estadual, impactado pela redução das alíquotas. Além disso, o ITCD também registrou queda no mês, enquanto o IPVA apresentou desempenho positivo.

Leia mais: Governo Do Rio Grande Do Sul Propõe Reajuste De 9,45% No Piso Do Magistério

Arrecadação dos impostos

No recorte por imposto, o ICMS totalizou R$ 2,96 bilhões arrecadados, representando uma queda real de 16,1% frente ao mês de fevereiro de 2022, em números atualizados pelo IPCA. O resultado foi fortemente influenciado pela redução das alíquotas das chamadas blue chips (combustíveis, energia elétrica e telecomunicações), que foram de 25% em fevereiro de 2022 (competência janeiro de 2022) para 17% em fevereiro de 2023 (competência janeiro de 2023). Essas alíquotas foram reduzidas por decreto estadual de 30% para 25% e, posteriormente, pela Lei Complementar nº 194/2022, de âmbito federal, de 25% para 17%.

Já o IPVA somou R$ 293,52 milhões arrecadados em fevereiro de 2023, o que significa um aumento real de 18,5% na comparação com o ano anterior, considerando o regime de caixa. O resultado é o segundo maior dos últimos cinco anos e reflete, entre outros fatores, a variação no valor da frota de veículos e a nova política de descontos mais atrativos para antecipação do tributo, que vence em abril.

O ITCD totalizou R$ 55,85 milhões no mês, consistindo em uma variação negativa de 18,7%, em números atualizados pelo IPCA. Apesar da queda, o resultado é o segundo melhor dos últimos cinco anos para o período. Em janeiro, a arrecadação com o tributo havia registrado variação positiva de 134,3%.

Fonte: Governo do Estado do Rio Grande do Sul

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação