Atrasos do cartão de crédito é mais comum em pessoas de baixa renda

Utilização do rotativo também é maior para quem ganha até R$ 1.200, mesmo com juros chegando a 400% ao ano; Diante da situação alarmante, Serasa Limpa Nome ajuda brasileiros renegociarem dívidas.

Compartilhe
PUBLICIDADE

Atrasos do cartão de crédito no Brasil são mais recorrentes para aqueles com baixa renda. É o que indica um estudo da Serasa Experian que analisou o comportamento de pagamento das faturas de novas emissões de cartões no primeiro semestre de 2022.

Os dados revelam que 8% das pessoas que têm renda mensal de até R$ 1.200 atrasam o compromisso financeiro em mais de 30 dias, ante 3% daqueles que ganham mais de R$ 12 mil. Isso mostra um percentual quase 3 vezes maior. Confira no gráfico abaixo a comparação completa:

O levantamento também mostrou que cerca de 19% das pessoas de baixa renda fizeram pagamentos inferiores a 80% do valor total da fatura de seus cartões de crédito.

Quando comparado com aqueles com renda mais alta, o percentual é de 6,5%, mostrando uma diferença também 3 vezes maior. Desta forma, elas entram no crédito rotativo, uma modalidade de empréstimo da administradora ao consumidor que não quita totalmente o encargo financeiro. Veja a comparação por faixa de renda completa no gráfico:

“A inflação está corroendo a capacidade de pagamento das pessoas que se encontram na faixa de baixa renda no Brasil. Entrar no rotativo, inclusive, é uma das piores formas de endividamento, já que a média anual de juros nessa modalidade chegou em 399,5% em outubro deste ano. Por isso a educação financeira é uma necessidade tão latente para a população. Mas, considerando que a inadimplência já alcança 69 milhões de brasileiros, recorrer a soluções de renegociação de dívidas é a saída mais próxima para essa realidade”, analisa Julio Guedes, diretor de Analytics da Serasa Experian.

Serasa Limpa Nome pode ser a saída mais rápida para sair do endividamento

O Feirão Limpa Nome, evento da Serasa que oferece oportunidade de renegociações de dívidas com mais de 200 empresas parceiras, já mudou a vida de muitos brasileiros. Este é o caso do auxiliar de limpeza e serviços gerais Armando José Pereira de Souza, 55, que não se coube de alegria por ter quitado suas pendências no evento que aconteceu em São Paulo em novembro.

“Estava esperando por esse Feirão! No ano passado, eu estava desempregado e não tive como fazer nada. Estou muito emocionado. Essa é melhor coisa que a Serasa pode fazer para a gente, porque é a forma que temos de resolver esse problema das dívidas. Tinha várias pendências que se acumularam em uma bola de neve dos últimos três anos. Mas, agora, vejo um caminho para seguir e estou muito feliz. Daqui dois anos me aposento mais aliviado. Vou fazer novos planos com a minha filha para aproveitar bastante”, declarou o profissional de limpeza e serviços gerais.

Além do Feirão Limpa Nome físico, que acontece normalmente duas vezes por ano em diversas regiões do país, os consumidores podem acessar o Limpa Nome Online o ano todo, para negociar suas dívidas com os credores cadastrados na plataforma de negociação. Clique aqui para acessar!

Foco na educação financeira

O Brasil bateu a marca de 69 milhões de inadimplentes e, segundo a Serasa, o caminho para combater a evolução deste número, é a educação financeira. Quanto mais cedo o brasileiro tem contato com conhecimentos sobre finanças pessoais, planejamento e controle do seu próprio dinheiro, mais distante ele pode ficar das dívidas.

Por isso, a empresa dispõe de uma série de conteúdos sobre a temática em seu blog, além de indicação de cursos específicos, o canal no YouTube Serasa Ensina e a própria carteira digital, um método de pagamento on-line em que os usuários podem fazer transações por meio do celular.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação