var _comscore = _comscore || []; _comscore.push({ c1: "2", c2: "14194541" }); (function() { var s = document.createElement("script"), el = document.getElementsByTagName("script")[0]; s.async = true; s.src = (document.location.protocol == "https:" ? "https://sb" : "http://b") + ".scorecardresearch.com/beacon.js"; el.parentNode.insertBefore(s, el); })();

Central de Transplantes da Paraíba já realizou 15 captação de multiórgãos neste ano

A central de Transplantes da Paraíba registrou no Hospital de Trauma de Campina Grande, a 15ª captação de múltiplos órgãos em 2023.

Compartilhe
PUBLICIDADE

A central de Transplantes da Paraíba registrou, nessa terça-feira (20), no Hospital de Trauma de Campina Grande, a 15ª captação de múltiplos órgãos da Paraíba em 2023. A unidade, que é referência nos atendimentos de urgência e emergência no interior do estado, também é o segundo maior hospital doador da rede estadual. Através da doação do fígado, rins e córneas, cinco pessoas saem da fila de espera por um transplante. 

O doador foi um paciente de 26 anos, vítima de um Trauma Crânio Encefálico (TCE), em decorrência de um acidente automobilístico. Ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) desde o último sábado. A doação de múltiplos órgãos só é feita mediante a identificação de morte encefálica. Para que se obtenha esse diagnóstico, o paciente é submetido a avaliações, testes e exames para fechamento do protocolo. Após todas essas etapas, a família é entrevistada e pode fazer a autorização ou a recusa da doação. 

Leia também: MS Registrou 349 Casos E Cinco Óbitos Por Covid Na Última Semana

De acordo com a diretora da Central Estadual de Transplantes, Rafaela Dias, a abordagem à família doadora é feita de forma humanizada e respeitosa neste momento delicado. Ela ressalta a empatia, neste ato solidário de doação. “Mais uma vez, precisamos reforçar a importância da sensibilidade da família do doador, que é quem autoriza a doação. Nesse caso, a família não hesitou em dizer sim para a doação e, com isso, pôde salvar outras vidas. Também é importante salientar o trabalho respeitoso e de qualidade de toda a equipe envolvida”, pontua.  

O procedimento de captação teve início por volta das 21h e durou cerca de quatro horas. Foram doados rins, fígado e córneas, que foram transportados por via terrestre para João Pessoa, onde aconteceram os transplantes. 

Leia também: Câncer Deverá Ser A Principal Causa De Óbitos No País Até 2030

O fígado foi encaminhado para um homem de 48 anos que estava em prioridade na fila de transplante. Os rins foram para uma mulher de 26 anos e um homem de 60 anos, respectivamente. As córneas foram encaminhadas para o Banco de Olhos e vão para receptores ainda não definidos.  

No ano passado, na Paraíba, foram realizados 310 transplantes, entre órgãos sólidos e tecidos. Em 2023, já foram realizados 116 transplantes, sendo 83 de córneas, quatro de coração, 16 de rim, nove de fígado e três de medula óssea. Atualmente, o estado tem 450 pessoas aguardando a doação de um órgão ou tecido. Pode ser doador qualquer pessoa que tenha morte encefálica e que sua família autorize a doação dos órgãos ou tecidos.  

Fonte: Governo do Estado da Paraíba

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação

Jornal Contábil