Síndico profissional não pode ser MEI: Veja como abrir empresa e qual o CNAE necessário

O Síndico profissional pode ser MEI? Vamos entender mais sobre esse tema agora mesmo. Acompanhe!

Compartilhe
PUBLICIDADE

Com todas as mudanças vividas, o aumento de edifícios residenciais e comerciais é algo que tem atraído a demanda para a contratação de síndico profissional que saiba administrar condomínios e possam ao mesmo tempo garantir a gestão e boa convivência interna das pessoas. 

O síndico profissional é uma pessoa contratada como Pessoa Jurídica para gerenciar o condomínio, prestando serviço de maneira objetiva, estratégica e independente. 

Mas será que esse profissional pode ser MEI? Vamos entender mais sobre esse tema agora mesmo.

Síndico profissional pode ser MEI?

A resposta é não. Síndico profissional não pode ser MEI, assim como um advogado e dentista. Essa profissão não é enquadrada na lista de ocupações beneficiadas na legislação do  do Microempreendedor Individual (MEI).

Como a ocupação exige alto potencial intelectual, regularização legal e formal na categoria, o síndico não pode ser MEI

Quem não pode ser MEI?

Para ser MEI, existem algumas regras que precisam ser consideradas ao abrir um CNPJ, como: 

  • A empresa não pode exercer atividade intelectual;
  • Deve ter CNAEs correspondentes aos que são permitidos para MEI (confira aqui quais profissões podem ser MEI);
  • Renda bruta não pode exceder R$81 mil por ano; 
  • Só é permitida a contratação de um único empregado.

O síndico profissional não é a única atividade não permitida no MEI, existem outras que também não se enquadram nessa categoria e para conferir, acesse este link.

Quais as opções para o síndico profissional abrir uma empresa?

Como o MEI não é permitido para o síndico profissional, existem outras formas para que o CNPJ seja aberto, com tribulações mais em conta a serem pagas e a prestação de serviços possa acontecer de acordo com as regras do Governo. 

Existem algumas alternativas, veja quais são: 

1. Empresário individual – Microempresa

Nesse tipo de empresa, a receita anual é de até R$360 mil e o patrimônio como pessoa física fica comprometido com a abertura da empresa. 

2. Empresa Individual de Responsabilidade Limitada – EIRELI

Como EIRELI é possível separar o patrimônio pessoal do empresarial, mas ao abrir a empresa é preciso ter um capital social inicial de 100 salários mínimos. 

3. Sociedade Limitada

Esse tipo é ideal para quem for abrir uma administradora de condomínio, que pode ser formada por duas ou mais pessoas e o capital social pode ser dividido em quotas, com responsabilidade limitada por cada sócio. 

Essas são as alternativas, mas para ter certeza e abrir um CNPJ com segurança, consulte um contador para analisar a mais indicada.

Qual CNAE para síndico profissional?

O CNAE mais indicado é o 6822-6/00 – Gestão e administração da propriedade imobiliária. Ele tem como descrição:

“Ocupação de Síndico Administrador como MEI, conforme posicionamento do grupo enquadra-se na CNAE 6822-6/00 – Gestão e administração da propriedade imobiliária, que é considerada como ambígua ao Simples Nacional, sendo permitido o ingresso somente quando for exercida cumulativamente a atividade de administração e locação de imóveis de terceiros. O impedimento é caracterizado quando o Síndico Administrador exerce tão somente a atividade de administração da propriedade imobiliária de terceiros, atividade esta que é intelectual de natureza técnica, sendo vedada ao Simples Nacional.”

Outros que podem ser usados também:

  • 8111-7/00 – Serviços combinados para apoio a edifícios, exceto condomínios prediais;
  • 8219-9/99 – Preparação de documentos e serviços especializados de apoio administrativo não especificados anteriormente.

Para saber mais, acesse o Consultor de CNAEs.

Como abrir empresa?

Para saber como abrir empresa, alguns processo são necessários, como o registro no conselho da profissão e curso de síndico profissional para realizar as atividades. 

Além disso, é preciso separar a documentação e fazer todos os registros como na Junta Comercial, o cadastro do CNPJ na Receita Federal e conforme for a forma de atendimento como síndico profissional, será necessário a Inscrição Municipal, feita junto à Prefeitura Municipal. 

Ela serve como uma permissão de funcionamento para todas as empresas que prestam serviços.

O que é preciso para ser um síndico profissional?

Primeiro de tudo, um síndico profissional é aquele que administra condomínios com todo o entendimento das necessidades do local, realizando a gestão de maneira estratégica e objetiva e para isso é preciso:

  • Montar o orçamento de receitas e despesas;
  • Convocar a assembleia, para prestar contas e para qualquer aprovação no condomínio que seja necessária;
  • Representar legalmente o condomínio, em tudo que for preciso;
  • Cuidar e gerenciar os fundos de reserva do local;
  • Organizar o cronograma de manutenção e obras, sejam elas melhorias ou necessidades pontuais do condomínio;
  • Fazer cumprir a convenção, o regimento interno e tudo o que foi acordado nas assembleias perante todos os que estão no condomínio, seja ele residencial ou comercial;
  • Vistoriar regularmente todas as áreas do condomínio, visando sua manutenção e para que tudo funcione adequadamente, evitando também qualquer tipo de acidente pela falta de vistoria;
  • Coordenar toda a equipe de funcionários internos;
  • Realizar a mediação de conflitos entre os condôminos;
  • Fazer uma gestão de maneira estratégica e transparente.

É fundamental que o síndico profissional conheça sobre questões jurídicas, técnicas, de gestão e de recrutamento para garantir o funcionamento de todos os procedimentos internos do condomínio. 

O curso profissionalizante para síndico profissional é de extrema importância pois com ele é possível conhecer todos os fluxos de administração, gestão, recursos humanos e contabilidade por exemplo, para ter uma comunicação efetiva com público interno e externo no condomínio. 

Contratação de síndico profissional

A contratação de um síndico profissional é como contratar uma empresa para a prestação de serviços. Dessa forma, tem o cumprimento dos deveres e obrigações no dia a dia que precisam ser consideradas. 

Não existe o vínculo empregatício, mas na prestação de serviços, o síndico profissional deve ter um acordo considerando os seguintes pontos: 

  • Jornada de trabalho;
  • Duração do contrato;
  • Clareza da prestação de serviço;
  • Décimo terceiro salário;
  • Férias;
  • Rescisão.

A profissão de síndico será regulamentada?

Segundo o site Sindiconet, a atividade de síndico profissional não é regulamentada, decorrendo de um permissivo do Código Civil de 2002, em que a figura do síndico relaciona-se com o papel de um mandatário, um representante da coletividade e não um administrador propriamente dito.

Com isso, está submisso a determinações e limitações postas por uma assembleia de condôminos que é o verdadeiro órgão de comando dentro do condomínio residencial ou comercial. 

Mesmo sem a regulamentação, a contratação de um síndico profissional para a administração predial e condominial é legal com base no artigo 1.347 (Lei 10.406/02), do Código Civil Brasileiro.

Remuneração e gestão como síndico profissional

O síndico profissional tem atuação definida no Artigo 1.347 do Código Civil que demonstra a contratação remunerada por um período de até dois anos, com renovação ou não do contrato. 

Os valores são flexíveis e variam conforme cada condomínio, considerando: 

  • valor do condomínio e sua localização;
  • tamanho da equipe que será responsabilidade do gestor como síndico;
  • unidades existentes no condomínio ou quantidade de condôminos;
  • visitas semanais necessárias para a correta administração que o síndico deve realizar;
  • áreas comuns (quantidade e trabalho envolvido): salão de festas, piscinas, playground, no caso de condomínio residenciais.

Gestão da carreira

O síndico profissional, deve fazer a gestão da sua carreira, e para isso é preciso emitir Nota Fiscal e com empresa sendo Simples Nacional é obrigatório o acompanhamento de uma contabilidade.

Para ter acesso a mais informações sobre as microempresas ou para saber como abrir uma ME sem custo com o maior escritório de contabilidade do Brasil, fale com um dos especialistas da Contabilizei.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Por Vitor Torres, Administrador de Empresas, Empreendedor Endeavor, CEO e fundador da Contabilizei, o primeiro e maior escritório de contabilidade online do país. 

Original de Contabilizei

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação