Conheça 6 tipos de rescisão de contrato trabalhista

Compartilhe
PUBLICIDADE

O rompimento de um vínculo trabalhista, também denominado de rescisão do contrato de trabalho é uma medida que visa oficializar o desligamento de determinado colaborador da empresa. 

Esse desligamento pode ocorrer de diversas formas, por isso, é essencial conhecer os tipos de rescisão existentes.

Demissão sem justa causa

Este modelo de desligamento ocorre por iniciativa do empregador e, não há a necessidade de apresentar qualquer justificativa, uma vez que o empregador possui verba para administrar o negócio da maneira que lhe for conveniente. 

No entanto, é preciso se atentar quanto aos custos elevados da demissão sem justa causa, pois, é necessário efetuar o pagamento de todas as verbas rescisórias integralmente. 

Sem contar que, este modelo de desligamento obriga o empregador a liberar a chave de acesso ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), bem como, as guias do seguro-desemprego. 

Demissão com justa causa

Em contrapartida da demissão sem justa causa, a rescisão de contrato de trabalho por justa causa requer que o empregador justifique o motivo pelo qual ocorre o rompimento do vínculo empregatício com o colaborador. 

Normalmente, isso acontece quando o ex-funcionário descumpre, pelo menos, um dos deveres previstos no Artigo 482 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Este modelo não promove tantos custos para a empresa, já que não é necessário efetuar o pagamento integral das verbas rescisórias. 

Pedido de demissão

Quando o desligamento de determinado colaborador acontece devido a um pedido de demissão, os custos com a rescisão do contrato também são inferiores, se assemelhando à demissão por justa causa.

Este rompimento do contrato parte por interesse do próprio colaborador. 

Rescisão indireta

A rescisão de contrato trabalhista indireta é similar à demissão por justa causa, só que ao contrário, pois, neste cenário quem descumpre as regras de trabalho previstas em lei é o empregador. 

Por exemplo, quando ele deixa de pagar a remuneração mensal, não recolhe o FGTS regularmente ou age de maneira discriminatória, são circunstâncias que dão direito à rescisão indireta. 

Rescisão por culpa recíproca

Este modelo permite que a rescisão do contrato de trabalho ocorra por ambas as partes, empregador e empregado, em situações que os dois lados descumprem tanto os deveres legais quanto os contratuais. 

Normalmente quando isso acontece, a empresa precisa liberar a chave de acesso ao FGTS, por outro lado, as guias do seguro desemprego não devem ser fornecidas.

Rescisão por comum acordo

A rescisão do contrato de trabalho por comum acordo prevê assegurar algumas vantagens para ambas as partes. 

Neste caso, o colaborador terá direito a receber as seguintes verbas: 

  • O salário;
  • Metade do aviso prévio;
  • 13º salário proporcional;
  • Férias vencidas, acrescidas de 1/3;
  • Férias proporcionais, acrescidas de 1/3;
  • Multa de 20% do FGTS.

Dica Extra do Jornal Contábil: Você gostaria de trabalhar com Departamento Pessoal?

Já percebeu as oportunidades que essa área proporciona?

Conheça o programa completo que ensina todas as etapas do DP, desde entender os Conceitos, Regras, Normas e Leis que regem a área, até as rotinas e procedimentos como Admissão, Demissão, eSocial, FGTS, Férias, 13o Salário e tudo mais que você precisa dominar para atuar na área.

Se você pretende trabalhar com Departamento Pessoal, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um profissional qualificado.

Por Laura Alvarenga 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação