Home Carreira Constrangimento Pelo Chefe: Como Lidar Com o Problema?

Constrangimento Pelo Chefe: Como Lidar Com o Problema?

73

O número de trabalhadores que já passou por algum tipo de constrangimento em espaço corporativo tem sido mais veiculado pela imprensa nos últimos anos. Um exemplo disso é o estudo realizado pelo site Vagas com 4.975 profissionais do Brasil que buscou entender quantas pessoas já sofreram com esse problema. Mais da metade dos entrevistados (52%) afirma já ter sofrido assédio moral ou sexual no ambiente de trabalho. A pesquisa ainda indica que 34% dos participantes já foram testemunhas de situações de abuso.

Atualmente, há mais informações sobre o que pode e o que não pode ser feito na empresa por qualquer tipo de funcionário. Contudo, mesmo com todo o conhecimento a respeito do assunto disponível, muitas pessoas ainda enfrentam dificuldades, especialmente quando o assédio é praticado pelo chefe.

Mas, como se defender de uma figura de autoridade, que delega suas atividades e ainda paga o salário no fim do mês? Para te ajudar nessa tarefa, vou te passar algumas dicas de como lidar com o problema de maneira assertiva e inteligente, sem danificar a sua carreira ou o seu marketing pessoal. É só continuar lendo o texto para conferir!

Como definir o que é constrangimento no trabalho?

Veja o que pode ser entendido como constrangimento no trabalho e aprenda a identificar estas situações para se proteger. Acompanhe:

  • Instruções de trabalho abstratas que podem te induzir ao erro;
  • Críticas destrutivas;
  • Insultos;
  • Broncas e críticas destrutivas diante de outras pessoas;
  • Humilhação por conta da raça, opção sexual, religião, gênero e raça;
  • Brincadeiras discriminatórias em relação ao tipo físico, religião, gênero, opção sexual e raça;
  • Discursos discriminatórios em relação ao tipo físico, religião, gênero, opção sexual e raça;
  • Realização de trabalho em horários injustificados;
  • Proibição de convivência com outros colaboradores;
  • Elaboração de situações para que forcem um pedido de demissão;
  • Retirada de material de trabalho como a mesa, computador ou telefone para humilhar o funcionário diante dos demais;
  • Espalhar boatos sobre o trabalhador criando constrangimento no trabalho;
  • Usar a posição de autoridade para perseguir e humilhar.

Se você tiver passado ou conhece alguém que passou por algum cenário que não coloquei aqui é só escrever nos comentários no fim do artigo.

Como lidar com as situações de assédio em ambiente profissional

Na maioria dos casos, a dúvida que paira na cabeça de quem passa por uma situação de constrangimento no trabalho é qual é a medida correta para tomar. Para não se prejudicar, o funcionário que vive constantemente esse tipo de situação precisa ter mecanismos de defesa. Confira as dicas que separei que podem ajudar:

  • Abra um canal de diálogo com o seu gestor: se você se incomoda com o tom de voz que o seu chefe fala com você diante dos outros ou em particular, o melhor caminho é dizer isso diretamente a ele de forma educada e reservada. Para que fique mais fácil de ele entender, ilustre com exemplos e também explique como é ruim para o clima organizacional e também a sua motivação e produtividade no dia a dia. Em seguida, aguarde uma mudança de comportamento e colabore continuando a fazer sua parte.
  • Reúna evidências dos constrangimentos: se a conversa não surtiu efeito e você ainda está passando por constrangimento no trabalho, não deixe que a situação se torne maior para tomar uma providência. Para isso, você deve focar em reunir evidências de que seu superior realmente está lhe assediando. Pode ser um e-mail enviado para ele relatando a situação com cópia para uma testemunha, conversas de aplicativos como Whatsapp ou qualquer prova material de uma das situações humilhantes.
  • Avalie a possibilidade de denúncia: caso você já tenha tentado diálogo com o chefe e com a empresa e não obteve resultados, é hora de fazer uma denuncia ao seu sindicato ou à Justiça do Trabalho. Se a investigação apurar que a denúncia procede e que a empresa não agiu como deveria, pode responsabilizá-la judicialmente. Não peça a demissão antes desse passo para não perder seus direitos. Em geral, numa situação grave de constrangimento no trabalho, pode-se obter rescisão do contrato de trabalho sem perder seus direitos.
  • Procure outro emprego: se mesmo com todas as provas, você decidir que não quer levar o seu caso à justiça, o melhor caminho para se preservar de futuros assédios é buscar uma nova oportunidade em uma empresa em que você seja respeitado e valorizado por todos, inclusive o seu superior. Lembre-se de que você merece ser respeitado e não deve aceitar ser constrangido de modo algum.
  • Desabafe com pessoas próximas: é importante que você tenha amigos e familiares em que pode confiar, contando o que está acontecendo. Longe de ser fofoca, o objetivo é que você possa expor seus sentimentos em território seguro, podendo ser amparado. Essas conversas podem servir como combustível para que você se posicione exigindo que os seus direitos sejam respeitados.
  • Tenha acompanhamento médico: durante e após o processo de denúncia, é essencial que você tenha orientações de um profissional da saúde, como um psicólogo. Ele pode te ajudar a enxergar a luz no fim do túnel, além de te preparar emocionalmente para aguentar o dia a dia.
  • Desenvolva a sua inteligência emocional: com o coaching, você pode desenvolver a sua inteligência emocional, possibilitando que o gerenciamento de sentimentos. Assim, você tem a ação ideal para o momento certo. Não deixe que o seu gestor bagunce sua capacidade de se adequar emocionalmente.

Você conhece outra saída além dessas que citei acima? Se sim, escreva quais nos comentários no fim do artigo. Infelizmente, o assédio moral no ambiente de trabalho é uma prática comum e, para que tenha fim, é necessário que os colaboradores atingidos tenham voz. Por isso mesmo, mostrei a você todos os conselhos acima. Corra atrás dos seus direitos!

Por: José Roberto Marques | Blog