As penalidades por exceder a máxima da via podem variar. No caso mais grave, a pode ser de quase R$ 900 e provocar a suspensão da carteira

É de fato a  CONSIDERADA que determina a categoria da infração e não a que foi medida, flagrada pelo . Entender isso pode ajudar muito, já que a por excesso de pode variar de R$ 130,16 a R$ 880,41, os pontos, de quatro a sete, e ainda, quando a infração é gravíssima, existe o risco da suspensão imediata do de dirigir.

Vamos lá: a infração é média, quando a CONSIDERADA for superior à máxima permitida para a via em até 20%. Nesse caso o valor da é de R$ 130,16 mais quatro pontos na carteira.

É grave quando a CONSIDERADA for superior à máxima em mais de 20%, mas a até 50%. A é de R$ 195,23 mais cinco pontos.

E é gravíssima quando o rista ultrapassar a máxima permitida em mais de 50%, sempre lembrando que o cálculo é feito pela CONSIDERADA (ou seja, subtraído o limite de tolerância). Esse tipo de infração é ainda “agravada” com índice 3, o que significa que o valor da é multiplicado por 3 (infração gravíssima normal R$ 293,47 x 3), resultando em R$ 880,41 mais sete pontos e ainda corre-se o risco de ter a carteira , independentemente de se ter ou não mais pontos no prontuário. Ou seja, mesmo que o rista tenha cometido essa única infração, pode ter a carteira apreendida e , tendo que passar por um processo administrativo antes de voltar a dirigir.

E como saber a categoria da infração? Uma opção é pegar a CONSIDERADA e fazer as contas para saber em que percentual está acima da permitida para a via.

Mas se não quiser ter esse trabalho, a Resolução 396/2011, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que dispõe os requisitos técnicos para fiscalização de , traz uma tabela (no anexo II), que ajuda a saber a categoria da infração. Vamos dar alguns exemplos:

Se a permitida for de 20 km/h, a infração é média se a CONSIDERADA estiver entre 21 km/h e 24 km/h; é grave, entre 25 km/h e 30 km/h, e gravíssima, de 31 km/h para cima.

Já se a permitida for de 90 km/h, a infração é média se a CONSIDERADA estiver entre 91 km/h e 108 km/h; é grave, entre 109 km/h e 135 km/h, e gravíssima, de 136 km/h para cima.

Se o limite for 100 km/h, a infração é média se a CONSIDERADA estiver entre 101 km/h e 120 km/h; é grave, entre 121 km/h e 150 km/h, e gravíssima, de 151 km/h para cima.

Já se for de 120 km/h, a infração é média se a CONSIDERADA estiver entre 121 km/h e 144 km/h; é grave, entre 145 km/h e 180 km/h, e gravíssima, de 181 km/h para cima.

COMO CALCULAR

PERMITIDASem mistério, é a máxima permitida para a via
MEDIDAA em que o veículo estava no momento em que foi flagrado pelo
CONSIDERADAEssa sim é a vedete da história! É ela que é usada para r (ou não) e resulta de uma subtração entre a medida e o limite de tolerância
LIMITE DE TOLERÂNCIA
MARGEM DE ERRO DE 7 KMQuando a máxima permitida é de até 100 km/h
MARGEM DE ERRO DE 7%Quando a máxima permitida for a partir dos 100 km/h. Nesse caso, como se trata de porcentagem e a conta nem sempre é exata, são considerados os arredondamentos, para cima, se a casa decimal for superior a 5; ou para baixo, se for inferior
EXEMPLOS
MEDIDALIMITE DE TOLERÂNCIA= CONSIDERADA
99 km/h7 km= 92 km/h
119km/h7% (8,33)= 110,67, com arredondamento para 111km/h

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.