Mais de 500 mil acordos já foram assinados para o Benefício Emergencial

Compartilhe
PUBLICIDADE

De acordo com o Ministério da Economia, na quinta-feira (6), ocorreram mais de 500 mil acordos relacionados a redução de jornada e salário ou de suspensão temporária de contratos de trabalho pela iniciativa privada. 

Expectativa

O governo estima que neste ano sejam realizados cerca de 5 milhões de acordos, em um balanço geral atual, cerca de quase a metade (237,5 mil) é referente à suspensão de contratos. 

Medida provisória 

Esta medida visa a flexibilização das regras trabalhistas e foi assinada no dia 27 de abril pelo presidente Jair Bolsonaro.  O mesmo aconteceu decorrente da pandemia do covid-19.

Logo, foi recriado o programa que prevê uma compensação financeira paga pelo governo a trabalhadores que tiveram a renda cortada.

Benefício Emergencial 

Este benefício emergencial foi criado pelo governo federal para amparar as empresas no momento de aperto. A estimativa para este é que pode durar até quatro meses.

Redução da jornada

Para que ocorra a redução da jornada e o salário em 25%, 50% ou 70%, é necessário que a empresa negocie com os empregados ou com o sindicato, bem como a suspensão temporária do contrato de trabalho. 

Cálculo do BEm

Este benefício é calculado de acordo com o valor do seguro-desemprego, juntamente com o percentual do corte de jornada do trabalhador

Teto do auxílio

Este é pago em caso de suspensão de contrato o mesmo equivale ao valor do seguro desemprego, que no momento pode chegar a R $1.911,84. 

Ressaltando que o objetivo disso tudo, é evitar demissões em um momento de agravamento da crise econômica. 

Por Laís Oliveira

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação