MEI pode receber o seguro-desemprego?

Compartilhe
PUBLICIDADE

Nesse momento de pandemia onde muitos brasileiros acabaram perdendo seus empregos, a opção do MEI acaba sendo uma oportunidade para que muitos voltem ao mercado de trabalho.

Contudo é preciso ficar ciente de que o seguro-desemprego não é aprovado para o trabalhador que tenha MEI ou CNPJ ativo.

O seguro-desemprego trata-se de um benefício oferecido ao trabalhador que atue no regime CLT e tem como finalidade prover uma assistência financeira temporária ao trabalhador demitido sem justa causa, enquanto o mesmo possa ter tempo suficiente para conseguir um novo emprego.

Quem pode receber o seguro-desemprego?

O benefício do seguro-desemprego é destinado e garantido quando o trabalhador com carteira assinada demitido sem justa causa, incluindo casos de rescisão indireta (quando o empregado “dispensa” o patrão). Empregados domésticos também têm direito.

Além desses casos, o benefício pode ser pago ao funcionário com carteira assinada que teve o contrato de trabalho suspenso para participar de curso ou programa de qualificação profissional oferecido pelo patrão; o pescador profissional durante o período do defeso (quando a pesca não é permitida, para proteger os animais) e o trabalhador resgatado da condição semelhante à de escravo.

Quando posso pedir o seguro-desemprego?

O seguro-desemprego pode ser solicitado entre 7 a 120 dias após a data da demissão do trabalhador, para o funcionário doméstico o prazo será de 7 a 90 dias após a demissão.

Já o pescador pode pedir o seguro desemprego durante o período de defeso (período quando as atividades de pesca são proibidas) e em até 120 dias do inicio da proibição. Para o o empregado afastado para qualificação o mesmo pode solicitar o benefício durante a suspensão do contrato de trabalho.

O trabalhador com carteira assinada pode pedir o seguro-desemprego entre 7 e 120 dias após a data de demissão, e o funcionário doméstico pode pedir de 7 a 90 dias após a demissão.

Já nos casos onde o trabalhador é resgatado da condição similar à de escravo o período para solicitar o benefício e de até 90 dias após o resgate.

MEI

Se eu for MEI não terei direito?

Se formalizar como MEI garante diversos benefícios previdenciários como:

  • Auxílio-doença
  • Salário maternidade
  • Pensão por Morte
  • Aposentadoria por Idade
  • Aposentadoria por Invalidez

Porém o seguro-desemprego não faz parte do pacote de benefícios destinados a categoria MEI.

Caso você trabalhe no regime CLT e possua inscrição no MEI deverá ficar atento às restrições consequentes da participação simultânea nos regimes MEi e CLT.

Imagine, agora, que sua atividade como microempreendedor individual é secundária. Você criou um CNPJ para complementar sua renda, mas, a maior parte dela provém de seu trabalho no regime CLT. 

Inesperadamente, você é dispensado de forma involuntária. Quando o trabalhador tem um MEI, a Receita Federal entende que existe uma fonte de renda ativa, uma vez que o CNPJ indica uma empresa aberta. Dessa forma, o trabalhador perde o direito ao benefício. 

Portanto, é preciso ficar atento às restrições consequentes da participação simultânea nos regimes MEI e CLT. 

E se meu MEI não tiver lucros posso pedir o seguro-desemprego?

Caso o trabalhador que tenha o MEI consiga comprovar que não possui rendimentos suficientes para se considerar uma renda ativa no seu CNPJ MEI é possível recuperar o seguro-desemprego.

Mas será necessário que você tenha em mãos toda a documentação necessária que comprove a ausência de lucros.

Essa informação está de acordo com a LC 155/2016, no seu artigo 8º, que acrescentou na L7998/1990:

Art. 3º Terá direito à percepção do seguro-desemprego o trabalhador dispensado sem justa causa que comprove:

§ 4o O registro como Microempreendedor Individual – MEI, de que trata o art. 18-A da Lei Complementar no 123, de 14 de dezembro de 2006, não comprovará renda própria suficiente à manutenção da família, exceto se demonstrado na declaração anual simplificada da microempresa individual. (Incluído pela Lei Complementar nº 155, de 2016)

Vigência: a partir de JAN 2018.

Dica Extra: MEI saiba tudo o que é preciso para gerenciar seu próprio negócio.  Se você buscar iniciar como MEI de maneira correta, estar legalizado e em dia com o governo, além de fazer tudo o que é necessário para o desenvolvimento da sua empresa, nós podemos ajudar. 

Já imaginou economizar de R$ 50 a R$ 300 todos os meses com contador e ainda ter a certeza que está fazendo suas declarações e obrigações de forma correta.

E o melhor é que você pode aprender tudo isso em apenas um final de semana. Uma alternativa rápida e eficaz é o curso MEI na prática. Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que um MEI precisa saber para ser autônomo e nunca mais passar por dificuldades ao gerir o seu negócio.

Quer saber mais? Clique aqui e mantenha sua empresa MEI em dia!

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação