17°C 30°C
Uberlândia, MG
Publicidade

Restituição do PIS/ COFINS na importação

Restituição do PIS/ COFINS na importação

25/01/2017 às 08h05 Atualizada em 25/01/2017 às 10h05
Por: Ricardo de Freitas
Compartilhe:
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
A partir de outubro de 2013 o governo federal alterou a base de cálculo do PIS e COFINS na importação. Anteriormente a base de cálculo era constituída do valor aduaneiro da mercadoria, mais o ICMS, mais as próprias contribuições, só que esta base de cálculo foi questionada na justiça e o supremo tribunal considerou indevida a cobrança, forçando o governo a rever a base de cálculo. Atualmente a base de cálculo incide apenas sobre o valor aduaneiro da mercadoria. Com este novo entendimento algumas empresas importadoras optantes pelo lucro presumido podem solicitar a restituição do PIS e COFINS que foi recolhido indevidamente antes de 2013 e utilizar estes créditos para pagamento de tributos federais que sejam devidos posteriormente pelas empresas. Como o próprio governo reconhece que a cobrança foi feita de forma indevida, os importadores não devem encontrar resistência nas solicitações e provavelmente terão o crédito autorizado. Lembrando que esta alteração na base de cálculo gerou uma perda significativa na arrecadação de impostos e que o governo não tardou a aumentar as alíquotas do PIS e COFINS depois. A carga tributária na importação continua sendo bastante alta e onerosa para os importadores, que além de recolher o PIS e COFINS também recolhem o imposto de importação, IPI, ICMS, AFRMM, taxa para utilização do Siscomex, além de várias despesas não tributárias como despesas com armazenagem, movimentação da carga, despachante aduaneiro, transporte, seguros e outras coisas a mais. Desta forma o preço final de venda ao consumidor final fica bastante elevado e será o consumidor final que pagará mesmo por tudo isso. Vale a pena ressaltar que apesar da excessiva carga tributária continuar sendo parte do dia a dia das empresas importadoras, que o governo tem implementado algumas boas ações para tentar diminiur a burocracia e o prazo necessário para conclusão dos processos de despacho aduaneiro na importação e na exportação, implementando sistemas informatizados mais eficientes para controle das operações de comércio exterior que poderão ajudar a reduzir algumas despesas não tributárias destes processos. (*) Henrique Mascarenhas é Professor coordenador dos cursos de Comércio Exterior da GS Educacional  [email protected] - Via Comex
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Uberlândia, MG
28°
Parcialmente nublado

Mín. 17° Máx. 30°

28° Sensação
5.14km/h Vento
39% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h35 Nascer do sol
05h44 Pôr do sol
Qua 29° 15°
Qui 29° 16°
Sex 30° 18°
Sáb 30° 17°
Dom 30° 16°
Atualizado às 14h07
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,11 +0,20%
Euro
R$ 5,55 +0,15%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,91%
Bitcoin
R$ 378,408,56 +0,79%
Ibovespa
127,484,05 pts -0.21%
Publicidade
Publicidade