14°C 28°C
Uberlândia, MG
Publicidade

Diretor-geral da PRF vira réu por improbidade administrativa

Diretor-geral da PRF vira réu por improbidade administrativa

25/11/2022 às 12h57 Atualizada em 25/11/2022 às 15h57
Por: Esther Vasconcelos
Compartilhe:

O diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Silvinei Vasques, se tornou réu por improbidade administrativa. O juiz José Arthur Diniz Borges, da 8ª Vara Federal do Rio de Janeiro, aceitou a ação movida pelo Ministério Público Federal através do procurador Eduardo Benones, do MPF, contra o diretor nesta sexta-feira.

O pedido foi feito após Vasques fazer uso indevido do cargo durante as eleições e de, inclusive, ter pedido de forma irregular votos para o presidente derrotado Jair Bolsonaro (PL).

Leia Também: Antes do fim do mandato Bolsonaro promove 10 generais do Exército

Afastamento do cargo

O procurador Eduardo Benones, realizou outro pedido, neste ele solicita que Silvinei seja afastado do cargo por 90 dias. Com relação a isso, o juiz afirmou que primeiro quer ouvir o Diretor Geral, dar um prazo de 30 dias, para depois tomar uma decisão. Na decisão, divulgada pela Globonews, o magistrado afirma que Silvinei Vasques está de férias até o dia 06 de dezembro.

“Determino a expedição de mandado de citação da parte ré para oferecimento de defesa, no prazo de 30 (trinta) dias, nos termos do art. 17, §7º da Lei nº 8.429/92. Após, voltem-me conclusos, inclusive para apreciação da medida cautelar requerida”

De acordo com G1, se Silvinei usar todo o prazo praticamente já estará fora do cargo, porque no governo Lula ele não seguirá no comando da PRF, o que tiraria qualquer efeito prático de um afastamento.

A GloboNews apurou que o MPF deve recorrer da decisão do juiz, pedindo um prazo menor para Silvinei se manifestar.

Leia Também: PEC da Transição: Gleisi diz que “falta articulação no Senado”

Irregularidades durante as eleições

"A vinculação constante de mensagens e falas em eventos oficiais, entrevista a meio de comunicação e rede social privada, mas aberta ao público em geral, tudo facilmente acessível na internet, sempre associando a própria pessoa do requerido à imagem da instituição PRF e concomitantemente à imagem do Chefe do Poder Executivo federal e candidato à reeleição para o mesmo cargo, denotam a intenção clara de promover, ainda que por subterfúgios ou mal disfarçadas sobreposição de imagens, verdadeira propaganda político-partidária e promoção pessoal de autoridade com fins eleitorais", escreveu o Ministério Público.

Foi levado em conta também no pedido, a politização dos agentes da PRF durante o segundo turno, desobedecendo ordens do ministro da Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes, para que não fizessem comandos nas estradas, dificultando o direito de voto dos eleitores, sobretudo na região Nordeste.

"Não é possível [...] dissociar da narrativa desta inicial a possibilidade de que as condutas do requerido, especialmente na véspera do pleito eleitoral, tenham contribuído sobremodo para o clima de instabilidade e confronto instaurado durante o deslocamento de eleitores no dia do segundo turno das eleições e após a divulgação oficial do resultado pelo TSE", argumenta o MPF.

Silvinei também é acusado de omissão durante os bloqueios dos caminhoneiros nas estradas, em protesto contra o resultado das eleições.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Uberlândia, MG
19°
Tempo limpo

Mín. 14° Máx. 28°

18° Sensação
4.12km/h Vento
52% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h45 Nascer do sol
05h44 Pôr do sol
Sex 28° 15°
Sáb 28° 15°
Dom 30° 17°
Seg 31° 17°
Ter 31° 18°
Atualizado às 09h06
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,40 -0,91%
Euro
R$ 5,79 -1,13%
Peso Argentino
R$ 0,01 -0,56%
Bitcoin
R$ 376,685,04 +1,17%
Ibovespa
120,261,34 pts 0.53%
Publicidade
Publicidade