18°C 28°C
Uberlândia, MG

Riscos de comprar um Aparelho Auditivo pagando preços suspeitos e sem consulta especializada

Riscos de comprar um Aparelho Auditivo pagando preços suspeitos e sem consulta especializada

17/01/2023 às 15h26 Atualizada em 17/01/2023 às 18h26
Por: Leonardo Grandchamp
Compartilhe:
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O início do uso de aparelhos auditivos é um processo que leva mais tempo e exige mais etapas do que só adquirir um dispositivo com configurações padronizadas e passar a colocá-lo na orelha, como é tido pelo senso comum. Antes de começar a utilizar esta tecnologia assistiva, é preciso que o paciente realize uma audiometria de alta precisão, na qual um fonoaudiólogo especializado identifica o tipo de aparelho mais indicado para o grau da perda auditiva reconhecida. 

Continua após a publicidade

Depois, com o aparelho em mãos, faz-se necessária ainda a personalização de como as ondas sonoras serão captadas, tendo em vista que o processo de perda auditiva possui caráter único e individual, de modo semelhante a impressões digitais, e por isso, cada aparelho precisa de uma configuração particular e minuciosa. 

Leia também: Aposentadoria para deficiente auditivo: Entenda como ela funciona

O cumprimento dessas etapas, com o acompanhamento de profissionais capacitados, aumenta a chance de adaptação do paciente com o aparelho auditivo e impede que um dispositivo que apresenta problemas de qualidade, por exemplo, seja utilizado de modo a prejudicar a saúde auditiva do usuário. 

Preços altos e a demora no atendimento, no entanto, muitas vezes afugentam aqueles que precisam passar por este processo, fazendo com que eles frequentemente optem por alternativas com configurações padronizadas que são comercializadas em e-commerces por preços mais baixos e que, em grande parte dos casos, não vão resolver o problema do paciente, e, sim, fazer com que ele passe a integrar uma parcela de 87% da população brasileira que está consciente sobre sua perda auditiva, porém não quer fazer uso do aparelho por dificuldade de adaptação.

Continua após a publicidade

Leia também: Perder a audição pode aumentar o risco de demência no futuro

De acordo com a fonoaudióloga e audiologista Luciene Machado, que atua no centro auditivo Audição de TODOS, a compra de produtos sem fiscalização, além de não possuir qualquer garantia de funcionamento, também pode representar um risco à saúde auditiva do usuário. “Todo e qualquer aparelho auditivo vendido por revendas autorizadas são fiscalizados pelo Conselho Regional de Fonoaudiologia, bem como é exigido o acompanhamento do paciente pelo profissional fonoaudiólogo. Além disso, todos os aparelhos auditivos comercializados no Brasil devem ser aprovados pelo Inmetro e pela Anvisa, de modo que sejam seguros e confiáveis”, pontua Luciene.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Uberlândia, MG
29°
Parcialmente nublado

Mín. 18° Máx. 28°

30° Sensação
2.57km/h Vento
51% Umidade
75% (0.69mm) Chance de chuva
06h24 Nascer do sol
05h59 Pôr do sol
Sáb 28° 19°
Dom 27° 20°
Seg 28° 20°
Ter 29° 21°
Qua 29° 18°
Atualizado às 15h29
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 0,00 %
Euro
R$ 0,00 %
Peso Argentino
R$ 0,00 %
Bitcoin
R$ 0,00 %
Ibovespa
0,00 pts %