19°C 32°C
São Paulo, SP
Publicidade

Oxfam propõe tributação de super-ricos para combater as desigualdades

Oxfam propõe tributação de super-ricos para combater as desigualdades

18/01/2023 às 13h36 Atualizada em 18/01/2023 às 16h36
Por: Esther Vasconcelos
Compartilhe:
Foto: Vladimir Platonow / Agência Brasil
Foto: Vladimir Platonow / Agência Brasil

A Oxfam International aproveita a próxima edição do Fórum Econômico Mundial (FEM), que começou nesta segunda-feira (16 de janeiro) em Davos, na Suíça, e vai até 20. pobreza e desigualdade durante a pandemia de covid-19.

Nos últimos dois anos, o 1% mais rico do mundo acumulou quase o dobro da riqueza do resto do planeta, de acordo com um relatório.

E pela primeira vez em 30 anos, a riqueza extrema e a pobreza extrema aumentaram simultaneamente. Nos últimos dois anos, as pessoas mais ricas do mundo ficaram ainda mais ricas, muito mais rápido do que todos os outros.

Leia também: Salário-Família 2023: como obter e saiba o novo valor

Proposta

Este tópico propõe aumentar os impostos dos super-ricos como forma de arrecadar fundos suficientes para tirar 2 bilhões de pessoas da pobreza. Colocando um imposto anual de até 5% da riqueza dos super-ricos.

Para enfrentar essa crescente desigualdade, a Oxfam está pedindo aos governos que aumentem os impostos de seus residentes mais ricos.

Ele propõe a introdução de impostos fixos sobre a riqueza e sobre ganhos inesperados para acabar com o aumento das crises globais, bem como aumentar permanentemente os impostos sobre o 1% mais rico da população para pelo menos 60% de sua renda de trabalho e capital.

A Oxfam acredita que as taxas para os mais rico devem ser altas o suficiente para reduzir significativamente seus números e riqueza. Os recursos devem então ser redistribuídos.

Segundo a Oxfam, esse percentual pode chegar a US$ 1,7 trilhão por ano. As possíveis ações a serem realizadas com esses recursos seriam:

  • financiar desafios humanitários, desenvolver um plano para acabar com a fome no planeta em 10 anos;
  • apoiar os países mais pobres que são devastados por eventos climáticos;
  • garantir a saúde pública global e a proteção social.

Leia Também: Quem ganha um salário e meio está obrigado a declarar o IR 2023

Oxfam Brasil 

Jefferson Nascimento, coordenador de Justiça Social e Econômica, da Oxfam Brasil, ressalta que 85% da população é a favor do aumento de impostos dos mais ricos para investir em serviços públicos para quem mais precisa.

Segundo ele, o novo governo está ciente da necessidade de aprovar rapidamente a reforma tributária, tanto que em café da manhã com jornalistas realizado na semana passada, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sinalizou seu interesse em aumentar os impostos dos ricos.

Nascimento lembrou que 0,3% da população brasileira possui patrimônio superior a R$ 10 milhões. E um conjunto de medidas propostas, como regulamentar a tributação de grandes patrimônios e elevar a alíquota do Imposto de Renda da Pessoa Física para 40%, além de ampliar o escopo das isenções, tributar dividendos e alterar a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), poderia aumentar a arrecadação de impostos em cerca de 3% do PIB.

No caso do Brasil, quem ganha R$ 5 mil paga a mesma taxa de quem ganha mais de R$ 1 milhão por mês.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
São Paulo, SP
21°
Tempo limpo

Mín. 19° Máx. 32°

21° Sensação
2.06km/h Vento
83% Umidade
40% (1.91mm) Chance de chuva
06h03 Nascer do sol
06h32 Pôr do sol
Ter 31° 20°
Qua 26° 20°
Qui 27° 20°
Sex 28° 21°
Sáb 29° 21°
Atualizado às 07h08
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 4,95 -0,06%
Euro
R$ 5,38 +0,13%
Peso Argentino
R$ 0,01 -0,26%
Bitcoin
R$ 342,266,05 +3,71%
Ibovespa
129,180,37 pts 0.12%
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade