15°C 29°C
Uberlândia, MG
Publicidade

Conta de luz volta a ficar mais cara com cobrança do ICMS

Conta de luz volta a ficar mais cara com cobrança do ICMS

16/02/2023 às 08h20 Atualizada em 16/02/2023 às 11h20
Por: Ricardo
Compartilhe:
Imagem por @rafapress / @jannoon028 / freepik / editado por Jornal Contábil
Imagem por @rafapress / @jannoon028 / freepik / editado por Jornal Contábil

A conta de luz dos brasileiros voltará a ficar mais cara com a recente decisão que permite aos estados cobrarem o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre as tarifas de distribuição e transmissão de energia elétrica.

Continua após a publicidade

Com a permissão, os estados voltarão a cobrar o ICMS sobre o sistema de distribuição (TUSD) e tarifa de uso do sistema de transmissão (TUST) na base de cálculo do imposto na tarifa.

Os novos aumentos das alíquotas gerais começaram a valer entre os dias 8 de março e 1º de abril, o que deixará a conta de luz dos brasileiros mais cara.

Decisão do STF

A decisão para a cobrança do ICMS ocorreu por parte do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux. Para permitir a cobrança do imposto nas distribuição e transmissão, o magistrado descontinuou parte da lei que impossibilita a cobrança sobre as respectivas tarifas.

Vale lembrar que no ano passado, o Congresso Nacional havia aprovado uma lei complementar que demarcava em 18% o percentual máximo que os Estados poderiam cobrar de ICMS sobre bens e serviços considerados indispensáveis e essenciais, o que englobava a energia.

Continua após a publicidade

Contudo, desde a aprovação da lei complementar, os estados vêm se opondo a medida, tendo em vista que para os entes federados, a referida lei impactaria na arrecadação estadual, com uma perda de R$ 16 bilhões para cada bimestre.

Dessa maneira, o ministro Luiz Fux, afirmou que a suspensão da medida é válida porque a União, ao editar essa lei, teria ultrapassado seu poder constitucional ao interceder na autoridade tributária dos Estados. 

ICMS na conta de luz

O ICMS é classificado como um imposto que deve ser cobrado sobre mercadorias. No Brasil, para muitos que não sabem, a energia elétrica é tratada como mercadoria, dessa forma a cobrança de ICMS na conta de energia é válida.

Entretanto, ocorre que para encargos setoriais, o qual são cobranças realizadas na fatura, como no caso da TUSD e TUST, ambos não são classificados como mercadoria, assim, devido a uma grande polêmica, em tese o ICMS não deveria ser cobrado nestas tarifas.

Continua após a publicidade

Para quem vai buscar verificar no boleto da conta de luz as tarifas TUSD e TUST, ambas não são especificadas pelo seu nome no boleto, normalmente elas são descritas como “transmissão”, “distribuição”, “encargos”, etc.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Uberlândia, MG
23°
Tempo limpo

Mín. 15° Máx. 29°

23° Sensação
7.2km/h Vento
56% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h36 Nascer do sol
05h44 Pôr do sol
Sex 30° 17°
Sáb 30° 18°
Dom 30° 16°
Seg 30° 18°
Ter 26° 15°
Atualizado às 11h07
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,15 0,00%
Euro
R$ 5,58 -0,01%
Peso Argentino
R$ 0,01 -0,19%
Bitcoin
R$ 370,679,20 -1,97%
Ibovespa
124,735,08 pts -0.73%
Publicidade
Publicidade