20°C 29°C
Uberlândia, MG

Banco Central ignora governo e mantém juros a 13,75%

Banco Central ignora governo e mantém juros a 13,75%

22/03/2023 às 21h36 Atualizada em 23/03/2023 às 00h36
Por: Jorge Roberto Wrigt
Compartilhe:
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu, nesta quarta-feira (22), manter a taxa Selic em 13,75% ao ano – patamar em vigor desde o início de agosto de 2022.

Continua após a publicidade

O BC vem recebendo críticas pesadas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de ministros do atual governo, além de estar no meio de uma turbulência no sistema bancário global. No entanto, isso não o impediu de manter a Taxa Selic em 13,75% ao ano.

Em nota o BC mencionou os motivos pela manutenção da taxa de juros, citando a incerteza com o novo arcabouço fiscal. Na nota também são mencionados outros motivos:

  • a maior persistência das pressões inflacionárias globais;
  • a incerteza sobre o arcabouço fiscal e seus impactos sobre as expectativas para a trajetória da dívida pública;
  • e uma desancoragem maior, ou mais duradoura, das expectativas de inflação para prazos mais longos.

Mercado Internacional

O comunicado do comitê destacou o desempenho do mercado internacional:

  • no cenário externo, "o ambiente se deteriorou" e os "bancos nos EUA e na Europa elevaram a incerteza e a volatilidade dos mercados e requerem monitoramento";
  • e, no Brasil, a inflação ao consumidor "segue acima do intervalo compatível com o cumprimento da meta da inflação".

O Copom costuma se reunir a cada 45 dias para definir a taxa básica de juros da economia. Esta é a segunda reunião do grupo durante o governo Lula.

Continua após a publicidade

Inflação

O principal instrumento para o Banco Central manter sob controle a inflação oficial, é a Selic, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Em fevereiro, o indicador fechou em 5,6% no acumulado de 12 meses . 

Desde o final do ano passado, a inflação vem sendo uma dor de cabeça para a economia brasileira. Ela vem subindo por causa do aumento dos preços dos alimentos, da reversão parcial das desonerações sobre os combustíveis e de aumentos típicos de início de ano, como gastos com educação e saúde.

Segundo a Agência Brasil, o índice fechou o ano passado acima do teto da meta de inflação. Para 2023, o Conselho Monetário Nacional (CMN) fixou meta de inflação de 3,25%, com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual. O IPCA, portanto, não podia superar 4,75% nem ficar abaixo de 1,75% neste ano.

Alta no juros americanos

O Federal Reserve (Fed, banco central americano) aumentou moderadamente, em um quarto de ponto percentual, sua taxa de juros de referência, a 4,75%-5%, seguindo as expectativas do mercado, preocupado com a inflação, e apesar dos problemas no setor bancário.

Continua após a publicidade
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Uberlândia, MG
28°
Parcialmente nublado

Mín. 20° Máx. 29°

29° Sensação
1.54km/h Vento
51% Umidade
73% (0.47mm) Chance de chuva
06h23 Nascer do sol
06h01 Pôr do sol
Qui 26° 19°
Sex 27° 19°
Sáb 27° 18°
Dom 27° 17°
Seg 27° 16°
Atualizado às 15h28
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,24 -0,97%
Euro
R$ 5,59 -0,44%
Peso Argentino
R$ 0,01 -1,11%
Bitcoin
R$ 342,029,19 -3,29%
Ibovespa
124,171,15 pts -0.17%