19°C 32°C
São Paulo, SP
Publicidade

Planos de Saúde: índice de reajuste deve ser anunciado em maio

Planos de Saúde: índice de reajuste deve ser anunciado em maio

26/04/2023 às 18h46 Atualizada em 26/04/2023 às 21h46
Por: Jorge Roberto Wrigt
Compartilhe:
Foto: Arquivo/Agência Brasil
Foto: Arquivo/Agência Brasil

A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) divulgou nesta segunda-feira (24) o balanço econômico-financeiro do setor em 2022. Segundo a Agência houve um prejuízo operacional de R$ 11,5 bilhões, os planos de saúde médico-hospitalares tiveram o pior resultado desde o início da série histórica, em 2001. 

A Fenasaúde (Federação Nacional de Saúde Suplementar) diante deste cenário crítico, alerta  para o impacto nos reajustes dos planos individuais e familiares, que devem ocorrer em maio.

Leia Também: BPC: Quem Não Atualizou O Cadastro Poderá Ficar Sem Pagamento

O reajuste

Foto: Arquivo/Agência Brasil
Foto: Arquivo/Agência Brasil

Tudo indica que o reajuste do plano de saúde em 2023 deve ter um aumento entre 10% e 12% para os contratos individuais.

Essa é uma previsão do banco Citi, que levou em consideração os números da ANS nos primeiros nove meses de 2022 e o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) de 5,79% do ano passado.

No que diz respeito aos planos empresariais e coletivos, ainda não há nenhum tipo de previsão de quanto será o aumento. 

Já sobre os planos empresariais e coletivos por adesão ainda não se tem uma projeção do quanto haverá de reajuste, e o percentual deve ser divulgado no segundo semestre.

Atualmente, os contratos individuais e familiares, cujo aumento máximo é controlado pela ANS, representam o menor contingente de usuários de planos de saúde.

Em 2022, a ANS estipulou como teto para o reajuste dos planos individuais o percentual de 15,50%, o mais alto da história da agência.

O aumento dado no ano passado de 8,19% é válido até o final deste mês. O que significa que em maio terá um novo reajuste nos valores.

Mesmo sendo o percentual mais alto desde o ano 2000, o reajuste dos planos individuais foi bem inferior ao dos planos empresariais e coletivos por adesão, que subiram mais de 20%.

Segundo dados da Fenasaúde, entidade que representa os planos, entre 2021 e 2022, as receitas dos planos de saúde cresceram 5,6%, enquanto as despesas aumentaram 11,1%.

Um dos principais indicadores do setor, o índice de sinistralidade chegou a 89,21% no quarto trimestre. Isso indica que a cada R$ 100 da receita dos planos, R$ 89,21 foram destinados ao pagamento de despesas assistenciais com consultas e exames.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
São Paulo, SP
21°
Tempo limpo

Mín. 19° Máx. 32°

21° Sensação
2.06km/h Vento
83% Umidade
40% (1.91mm) Chance de chuva
06h03 Nascer do sol
06h32 Pôr do sol
Ter 31° 20°
Qua 26° 20°
Qui 27° 20°
Sex 28° 21°
Sáb 29° 21°
Atualizado às 07h08
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 4,95 -0,06%
Euro
R$ 5,38 +0,13%
Peso Argentino
R$ 0,01 -0,26%
Bitcoin
R$ 341,522,26 +3,49%
Ibovespa
129,180,37 pts 0.12%
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade