18°C 28°C
Uberlândia, MG
Publicidade
Anúncio

Saiba o que é o arcabouço fiscal e quais são os seus impactos

Saiba o que é o arcabouço fiscal e quais são os seus impactos

29/04/2023 às 02h34 Atualizada em 29/04/2023 às 05h34
Por: Leonardo Grandchamp
Compartilhe:
Imagem por @wayhomestudio / freepik
Imagem por @wayhomestudio / freepik

Foi apresentado ao Congresso Nacional nesta terça-feira (18/04) o Arcabouço Fiscal, que é o novo conjunto de regras do Executivo para substituir o teto de gastos do governo. O texto traz as despesas que não serão enquadradas nos limites das novas regras, traz detalhes sobre as metas de resultado e explica o que acontece caso elas não sejam cumpridas.

Continua após a publicidade

O regramento fiscal tem como objetivo reduzir despesas e frear o aumento da dívida, tendo como consequência uma queda de juros. Abaixo, destacamos alguns dos principais pontos da pauta:

O que traz o texto do Arcabouço Fiscal?

De modo geral, o arcabouço estabelece que o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO), que é enviado anualmente, contenha o chamado Anexo de Metas Fiscais, no qual haverá o detalhamento das medidas. Outro ponto é que órgãos e poderes terão um limite individualizado para despesas primárias a partir de 2024.

Leia também: CPMI Não Atrapalhará Tramitação De Arcabouço Fiscal No Congresso

Além disso, ficará estabelecido que o Presidente da República precisará ir ao Congresso caso as metas estabelecidas não sejam cumpridas. O Banco Central também precisará apresentar ao Congresso Nacional uma avaliação sobre o cumprimento dos objetivos.

Continua após a publicidade

Caso as estimativas de receitas ou despesas descumpram a meta nos resultados trimestrais, os Poderes poderão tomar as seguintes medidas: 

  • Limitação de gastos nos trinta dias subsequentes, no valor necessário e seguindo os critérios da lei de diretrizes orçamentárias; 
  • Limitação de cronogramas e limites de pagamentos das despesas primárias.

Já o excedente de arrecadação que poderá ser usado para investimentos será limitado até o ano de 2028.

Imagem: José Cruz / Agência Brasil / editado por Jornal Contábil

Algum setor pagará mais impostos? 

O detalhamento de como pode aumentar a arrecadação ainda não foi estabelecido pelo governo. O que já foi sinalizado pelo ministro da Fazenda, Fernando Haddad, de forma mais concreta até o momento é a tributação de setores que estão hoje à margem do Fisco. Alguns exemplos disso são as grandes empresas de tecnologia, site de apostas e setores que hoje “não são tributados de forma adequada”, como alguns e-commerce asiáticos.

Leia também: Contingenciamentos Serão Facultativos No Novo Arcabouço Fiscal 

Continua após a publicidade

Outro ponto que será revisto de acordo com o ministro são os setores que hoje possuem “benefícios em excesso” e que não dão o retorno esperado para a economia do país. 

Já sobre a possibilidade de aumento de carga fiscal, o posicionamento do governo, até o momento, é de que não haverá aumento e nem a volta de outros tributos. Aliás, esse assunto, conforme o Executivo, só será debatido durante a Reforma Tributária, que é considerada peça fundamental para o sucesso do Arcabouço Fiscal.

O que o governo espera alcançar e quando começa a valer o Arcabouço Fiscal?

As metas do governo seguem as mesmas de quando a medida foi explicada pela primeira vez. Dessa forma, os objetivos são os seguintes:

  • 2023: Atingir um déficit primário (receitas menos despesas, descontando o pagamento de juros da dívida pública) de 0,5% do PIB;
  • 2024: zerar o déficit público da União;
  • 2025: superávit de 0,5% do PIB em 2025;
  • 2026: superávit de 1% do PIB em 2026. Além disso, quer estabilizar a dívida pública da União.

Para começar a valer, o Arcabouço Fiscal precisa ser votado e aprovado pelo Congresso Nacional. Por se tratar de um projeto de lei complementar (PLC), é preciso de maioria simples de votos favoráveis, 257 na Câmara dos Deputados e 41 no Senado.

No entanto, não existe um prazo exato para aprovação. O que se sabe é que há um senso de urgência para a validação das novas normas.

Em caso de dúvida, entre em contato com o nosso time de especialistas, é só clicar aqui.

Por Anderson Mello

Original de Dr.Fiscal

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Uberlândia, MG
19°
Parcialmente nublado

Mín. 18° Máx. 28°

19° Sensação
2.58km/h Vento
84% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h22 Nascer do sol
06h03 Pôr do sol
Seg 28° 20°
Ter 28° 19°
Qua 28° 20°
Qui 26° 20°
Sex 27° 19°
Atualizado às 03h08
Publicidade
Publicidade
Anúncio
Economia
Dólar
R$ 5,12 +0,00%
Euro
R$ 5,46 +0,00%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,10%
Bitcoin
R$ 351,715,49 -3,15%
Ibovespa
125,946,09 pts -1.14%
Publicidade
Anúncio
Publicidade
Anúncio
Publicidade
Anúncio
Publicidade
Anúncio