13°C 27°C
Uberlândia, MG
Publicidade

Nunca mais dependa de empréstimos: E se livre das dívidas!  

Nunca mais dependa de empréstimos: E se livre das dívidas!  

23/10/2023 às 19h25 Atualizada em 23/10/2023 às 22h25
Por: Bia Montes
Compartilhe:
Imagem: gpointstudio / freepik
Imagem: gpointstudio / freepik

Boa parte da população brasileira enfrenta um grande desafio, a quitação de dívidas e empréstimos, e para isso acontecer é necessário se ter um bom planejamento e também muita disciplina financeira.

Continua após a publicidade

De acordo com uma pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), 78,5% das famílias brasileiras estão em dívidas, sendo que 18,5% desse total se consideram "muito" endividadas.

Ao mesmo ponto, um estudo do Sebrae com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou que apenas 3 de cada 10 empresários que buscam empréstimo têm sucesso.

Com números tão ambíguos, cria-se um ciclo de dívidas, que, muitas vezes, os empréstimos são requisitados para pagar as próprias obrigações financeiras.

Leia também: Brasil Quebra Recorde De Endividados

Continua após a publicidade

 Dica do especialista

Rogério Brandão, planejador financeiro, mentor sênior e acionista da Serafin, indica que é preciso priorizar os débitos, concentrando-se nas de taxas de juros mais altas para economizar dinheiro a longo prazo.

“Estabeleça um orçamento realista que considere sua renda e despesas mensais. Certifique-se de alocar fundos extras para pagar seus débitos. A otimização de gastos, como entretenimento, refeições fora de casa e compras consideradas supérfluas, também pode liberar recursos adicionais”.

Aumentar a renda, seja por empregos adicionais, venda de itens não utilizados ou desenvolvimento de habilidades para renda extra, também pode ser uma estratégia eficaz.

Leia também: 3 Dicas De Atividades Que Instruem Sobre Consumo Consciente

Continua após a publicidade

“Criar um fundo de emergência é essencial também para evitar acumular mais dívidas em situações inesperadas. E claro, a negociação com credores é uma etapa crucial, já que muitos estão dispostos a reduzir taxas de juros ou aceitar valores menores. Considerar a consolidação e refinanciamento de empréstimos pode oferecer taxas de juros mais baixas e termos de pagamento favoráveis", pondera o especialista.

 De onde vem as dívidas

As dívidas têm raízes em diversos motivos que merecem nossa atenção para evitar desafios financeiros.

Emergências médicas, consertos inesperados e danos à casa são apenas algumas despesas imprevistas que levam à contração de débitos não pagos.

Segundo Brandão, o desejo de manter um estilo de vida além da renda disponível contribui para gastos excessivos, alimentados por compras impulsivas e falta de um orçamento sólido também entram na lista das causas do problema.

Outros agentes causadores, como a pressão social e a influência da publicidade, muitas vezes impulsionadas pelas redes sociais, podem levar as pessoas a gastarem mais do que deveriam em busca de status e aceitação social.

 “A falta de educação financeira é um fator crítico. O desconhecimento sobre a gestão eficaz do dinheiro aumenta o risco de decisões financeiras prejudiciais”, explica.

E como resolver o problema?

Durante o desafiador processo de quitação de dívidas, a resistência à tentação de contrair novas obrigações financeiras é imperativa para o problema cessar.

Para Brandão, a utilização prudente de cartões de crédito e empréstimos adicionais deve ser restrita ao estritamente necessário.

Leia também: Curso Gratuito De Educação Financeira Para Docentes

“A manutenção de um registro detalhado das dívidas pagas e o valor total liquidado oferecem não apenas estímulo, mas também uma avaliação clara do progresso ao longo do tempo. A automação dos pagamentos é uma prática recomendada para evitar esquecimentos e potenciais atrasos resultantes em multas e juros adicionais”, aconselha.

 Dica de ouro

Como dica de ouro, a visão a longo prazo é destacada por Rogério.

Enquanto se trabalha na quitação das dívidas, a orientação para objetivos financeiros futuros, como aposentadoria, investimentos e a constituição de um fundo de emergência robusto, é fundamental para manter o foco em um futuro financeiro sólido.

“O ensinamento central é que quitar dívidas vai além do mero retorno do controle financeiro; é uma oportunidade de construir hábitos financeiros saudáveis que resultarão positivamente a longo prazo”, conclui.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Uberlândia, MG
24°
Tempo limpo

Mín. 13° Máx. 27°

23° Sensação
2.57km/h Vento
35% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h44 Nascer do sol
05h43 Pôr do sol
Ter 28° 14°
Qua 29° 15°
Qui 29° 16°
Sex 29° 17°
Sáb 29° 18°
Atualizado às 18h07
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,43 +0,05%
Euro
R$ 5,83 +0,10%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,19%
Bitcoin
R$ 382,369,38 +0,89%
Ibovespa
119,137,86 pts -0.44%
Publicidade
Publicidade