15°C 28°C
Uberlândia, MG
Publicidade

Janeiro Branco: como ajudar a identificar pessoas tristes ou com depressão

Janeiro Branco: como ajudar a identificar pessoas tristes ou com depressão

18/01/2024 às 19h39 Atualizada em 18/01/2024 às 22h39
Por: Bia Montes
Compartilhe:
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Neste Janeiro Branco, mês de campanha que visa alertar para os cuidados com a saúde mental e emocional da população, é importante conhecer as diferenças que podem contribuir para elucidar isso melhor.

"Depressão e tristeza são experiências emocionais distintas, embora compartilhem semelhanças; é essencial compreender as diferenças para identificar e abordar cada uma adequadamente", afirma Erica Maia, psiquiatra e gerente de saúde mental da Conexa.

Leia também: Janeiro Branco: O Impacto Do Autocuidado Na Saúde Mental

Segundo Erica, o básico para entender a depressão é que ela não tem uma causa definida. "A pessoa não está com depressão 'por isso ou aquilo', ela simplesmente está deprimida", explica a psiquiatra. Já a tristeza, há. Uma pessoa pode estar triste porque lhe aconteceu algo ruim ou inesperado, por exemplo.

Outro marco da depressão é perder prazer naquilo que gosta e na vontade de fazer as coisas. Antes, a pessoa tinha o hábito de passear, ir ao cinema ou praticar esportes. Agora, pode não ter mais prazer nessas atividades.

Leia também: Janeiro Branco: Conscientização E Cuidado Com A Saúde Mental

Além da perda de prazer ou de interesse, a pessoa em depressão pode ter alterações no apetite (comer demais ou bem menos), no sono (pode dormir demais ou de menos), cansaço físico ou fadiga, sentimentos de desesperança, de culpa e ruminação sobre o passado, dificuldade de concentração e consequente esquecimento por não fixar as informações. Além disso, Erica diz que a doença pode acompanhar pensamentos suicidas. A tristeza, por sua vez, dificilmente trará junto todo esse legado.

A psiquiatra alerta também sobre a pervasividade da doença, ou seja, ela tende a impactar todas as esferas da vida, com os sintomas aparecendo a maioria do dia, por longo período. "A pessoa pode deixar de comer, de trabalhar, e ficar sem fazer nada. Quanto mais invasivo, mais impactante", ressalta.

Na tristeza, a emoção pode estar restrita a um contexto específico, e esse sentimento ocupa momentos do dia da pessoa. A intensidade da tristeza tende a diminuir com o tempo. A pessoa vai ficando menos triste até voltar a fazer suas atividades rotineiras.

Leia também: CRC Abraça Campanha Janeiro Branco

As dicas da Conexa auxiliam o paciente a entender as diferenças entre depressão e tristeza. No entanto, em situações de sofrimento, é recomendável que a pessoa passe por uma avaliação médica ou psicológica. "Em situações em que uma pessoa muda a forma de ser ou de sentir, 'foge' das coisas ou das pessoas que costumava gostar, nutre pensamentos ruins, não consegue se concentrar na vida, em atividades do dia a dia, é preciso procurar ajuda de um psicólogo ou psiquiatra", alerta Erica. "Quem tem depressão, dificilmente vai conseguir melhorar os sintomas sem o auxílio de um profissional", emenda.

Uma pesquisa realizada pela Conexa com representantes de RHs que participaram do Conarh, maior evento de gestão de pessoas na América Latina, em agosto passado, mostrou que 20% dos afastamentos de funcionários foram provocados por depressão.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Uberlândia, MG
21°
Tempo limpo

Mín. 15° Máx. 28°

20° Sensação
2.57km/h Vento
49% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h45 Nascer do sol
05h45 Pôr do sol
Ter 30° 16°
Qua 30° 17°
Qui 31° 18°
Sex 31° 17°
Sáb 32° 18°
Atualizado às 01h05
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,43 +0,00%
Euro
R$ 5,81 0,00%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,13%
Bitcoin
R$ 359,885,18 -2,14%
Ibovespa
121,341,13 pts 0.74%
Publicidade
Publicidade