15°C 26°C
Uberlândia, MG
Publicidade

Há risco do Pix acabar no Brasil? Saiba mais

Segundo o Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto á falta de investimento na agenda de inovação do Banco Central, o que pode gerar impacto nas operações do Pix

23/04/2024 às 13h10 Atualizada em 24/04/2024 às 07h46
Por: Mariana Santos de Freitas Fonte: Redação
Compartilhe:
Há risco do Pix acabar no Brasil?
Há risco do Pix acabar no Brasil?

As declarações do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, sobre o ritmo lento da agenda de inovação da instituição devido à falta de investimentos geram preocupações em relação ao futuro do Pix, sistema de pagamentos instantâneos que se tornou um grande sucesso no Brasil. A PEC da autonomia do Banco Central, defendida por Campos Neto, surge como uma possível solução para garantir a independência e os recursos necessários para o desenvolvimento da agenda de inovação.

Continua após a publicidade

De acordo com o Presidente do Banco Central, o orçamento de investimento desse ano será de R$ 15 milhões, sendo um quinto do que era há cinco anos. "A gente chega num risco de alguma hora falar assim: como a gente vai conseguir rodar o Pix?", disse o mesmo.

Roberto Campos Neto citou sobre a autonomia financeira de outros bancos centrais pelo mundo e defendeu a PEC 65. "Por isso temos defendido tanto esse tema da PEC 65, que é para poder levar o BC para o caminho que possa continuar levando à modernização.”

É importante citar que em 2023 o Pix se tornou o meio de pagamento mais popular, superando inclusive cartões de débito e crédito em número de transações. Segundo dados da FEBRABAN TECH, houve um aumento de 74% de transações do Pix comparado com 2022, sendo registrado 41,87 bilhões de movimentações.

Ao examinarmos esse tema, nos perguntamos sobre os potenciais impactos no Pix, que incluem:

Continua após a publicidade
  • Desaceleração do desenvolvimento: A falta de investimentos pode levar à estagnação do Pix, impedindo a implementação de novas funcionalidades e recursos que aprimorariam a experiência do usuário e expandiriam o uso do sistema.
  • Riscos à segurança: A falta de recursos para investir em segurança cibernética pode tornar o Pix mais vulnerável a ataques e fraudes, colocando em risco os dados e o dinheiro dos usuários.
  • Limitações na inclusão financeira: A expansão do Pix para novos segmentos da população, como pessoas de baixa renda e residentes em áreas remotas, pode ser prejudicada pela falta de recursos para iniciativas de inclusão financeira.

PEC da Autonomia do Banco Central:

  • Maior independência: A PEC visa garantir autonomia financeira e orçamentária ao Banco Central, permitindo que a instituição defina seus próprios investimentos e prioridades sem interferência política.
  • Mais recursos para inovação: Com maior autonomia, o Banco Central teria mais recursos para investir em sua agenda de inovação, impulsionando o desenvolvimento do Pix e de outros projetos inovadores.
  • Maior previsibilidade: A autonomia proporcionaria maior previsibilidade para o Banco Central, facilitando o planejamento de longo prazo e a implementação de projetos estratégicos.
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Uberlândia, MG
20°
Tempo nublado

Mín. 15° Máx. 26°

20° Sensação
5.66km/h Vento
77% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h37 Nascer do sol
05h43 Pôr do sol
Qua 27° 13°
Qui 29° 14°
Sex 29° 15°
Sáb 28° 18°
Dom 28° 17°
Atualizado às 14h07
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,16 -0,20%
Euro
R$ 5,61 -0,20%
Peso Argentino
R$ 0,01 -0,40%
Bitcoin
R$ 373,591,84 -1,94%
Ibovespa
123,710,67 pts -0.63%
Publicidade
Publicidade