16°C 29°C
Uberlândia, MG
Publicidade

Exclusivo: Presidente do Sescap/PR fala da calamidade no Sul do país

Veja entrevista completa de Michel Lopes ao Jornal Contábil

16/05/2024 às 10h47 Atualizada em 16/05/2024 às 15h19
Por: Ana Luzia Rodrigues
Compartilhe:
Presidente da SESCAP / Imagem Divulgação
Presidente da SESCAP / Imagem Divulgação

Em mais uma entrevista com as entidades contábeis do Sul do país, o Jornal Contábil entrou em contato com o Presidente do Sescap/PR. Objetivo é de ajudar a categoria que se encontra diante de um quadro caótico com o extermínio de diversas empresas. Negócios que estavam em pleno funcionamento vão ter de iniciar do zero.  

Continua após a publicidade

Neste cenário de destruição, o Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas no Estado do Paraná (Sescap/PR) vem se mostrando atuante em prol da categoria contábil.

O Jornal Contábil realizou uma entrevista com o Presidente do Sescap/PR, Michel Lopes. Juntamente como o Sescon/RS participa do mapeamento dos profissionais da contabilidade do estado que estão enfrentando dificuldades. 

Em seu depoimento, Michel Lopes faz um balanço do cenário atual e explica como todos podem ajudar nesta empreitada de reconstrução.

Confira a seguir:

Continua após a publicidade

Jornal Contábil -  Com as enchentes no RS, milhares de empresas foram perdidas e isso vai impactar diretamente os escritórios contábeis. Qual sua opinião sobre isso?

Michel Lopes - Estamos vivendo uma catástrofe jamais vista em nosso País e não temos ideia ainda do real impacto dessas enchentes na questão econômica no RS. É difícil ter qualquer opinião formada sobre a magnitude desta catástrofe também nas empresas contábeis, porque ainda não temos uma real noção do que está por vir. Estamos no meio de um monstruoso problema. O que entendemos é que o Brasil inteiro terá uma missão muito grande de auxiliar na reconstrução do RS e nós contadores, empresários contábeis, entidades contábeis, principalmente da região Sul de nosso País teremos uma grande responsabilidade de estender ainda mais as mãos aos nossos irmãos gaúchos e auxiliá-los no que for preciso. Estamos diante de uma questão humanitária, que transcende muito a doação de bens de consumo em nossa opinião.

JC - Quais medidas a serem tomadas agora diante deste quadro caótico?

ML - As medidas mais emergenciais, pensando exclusivamente na esfera contábil, já foram tomadas desde o início, e todas de certa forma atendidas. Precisávamos das prorrogações de prazos, tanto na questão tributária, com os vencimentos dos tributos, como na entrega das obrigações acessórias. Pensando um pouco mais a frente, as principais medidas são especificamente auxiliar os empresários a reconstruírem suas empresas, para só depois pensarmos em outras frentes, que com certeza aparecerão.

Continua após a publicidade

JC - Como os contabilistas estão lidando com essa situação no Sul do País?

ML - Estamos ainda em estado de choque, mas com um misto de sentimentos. Em conversa com nossos amigos e empresários no RS, entendemos que eles sabem da necessidade de reconstruir suas empresas, mas por outro lado a questão humana e profissional acaba falando mais alto. O profissional contábil é o grande ator quando grandes problemas afetam a economia. É neste momento em que o contador passa a dar as cartas, pois ele assume literalmente a responsabilidade de encontrar caminhos para reestruturar e planejar administrativamente e tributariamente todos os seus clientes. O sucesso de buscar manter a maioria das empresas em atividade passará e muito pelas mãos dos empresários contábeis. Entrarão inúmeras necessidades imediatas e de todos os clientes, inclusive de forma urgente, e isso trará uma sobrecarga emocional absurda nos próximos dias a todos estes atores, mas sabemos que são indispensáveis e precisaremos estar atentos para podermos auxiliá-los no que for preciso.

JC- Quais os passos que o SESCAP-PR está realizando no momento para amenizar toda essa situação?

ML - O SESCAP-PR, através do sistema FENACON, tem buscado neste primeiro momento auxiliar através de doações financeiras ao SESCON RS para auxiliá-los a ter lastro de caixa para fazer frente a todas as ações, neste primeiro momento humanitária e depois nos projetos de reconstrução de toda a rede contábil empresarial rio-grandense. A nossa campanha está no ar!

JC - Tem noção do número de profissionais prejudicados com a tragédia?

ML - Ainda não tivemos a confirmação destas informações, pois muitos municípios foram duramente afetados e permanecem sem energia e telefone até hoje. O contato é quase impossível. Mas sabemos que são milhares de profissionais afetados e isso nos assusta muito. Realmente foi uma catástrofe.

JC - Falando em números, quantos profissionais contábeis têm no Estado?

ML - Acredito que o CFC possa melhor auxiliar nesta informação.

JC - Até onde o poder público pode ajudar?

ML - Na nossa humilde opinião, o poder público deve ser o grande maestro na reconstrução do RS. Sabemos também que será impossível investir o que será necessário para trazer o mínimo de infraestrutura ao Estado novamente, mas os esforços e as ações precisam estar muito alinhados pelo poder público e todas as esferas.

JC - O que a categoria contábil pode fazer para que outra tragédia desse tamanho NÃO ocorra?

ML- Por ser uma catástrofe ambiental, é difícil saber o que fazer, pois foge muito do nosso conhecimento técnico, mas entendemos que o segmento contábil precise entender que planos de crises precisam existir, pois já passamos por uma grande provação há 3 anos atrás, com a pandemia da Covid-19 e agora com esta catástrofe no RS. O momento que estamos vivendo nos mostrará a importância de termos um planejamento de crise para nós e para nossos clientes, inclusive com reservas para estas contingências urgentes.

JC  - Quais as próximas ações do Sescap/PR?

ML - Estaremos fazendo reuniões com os presidentes dos SESCAP’S e SESCON’S da região Sul para ir acompanhando as necessidades que certamente surgirão mais a frente e faremos o possível para minimizar toda essa dor com ações imediatas.

JC - Como o resto do País pode ajudar com doações? Tem locais de arrecadação? Uma conta ou Pix para arrecadações?

ML - Já estamos com uma campanha em nível nacional, capitaneada pela nossa federação, a FENACON e todos as entidades contábeis do País já estão  envolvidas. A campanha é para doação de recursos financeiros, conforme já havia dito e o Pix de doação pode ser feito em nome do SESCON RS, de forma segura, pois todo o recurso será devidamente destinado para auxiliar nossos irmãos gaúchos. O Pix é 51 991092688 ou [email protected].

JC -  Quais são as suas considerações finais?        

ML-  Estamos diante de algo inimaginável, por isso é difícil tentar compreender o que está acontecendo no RS. A solidariedade do povo brasileiro é absurda e isso cada vez mais nos unirá, e na classe contábil não está sendo diferente. Teremos que ter muita resiliência e força nos próximos meses, que serão cruciais para entendermos o melhor caminho para reconstruir um Estado todo e os empresários contábeis e as entidades gaúchas exercerão, como sempre fizeram, um papel fundamental neste elo entre poder público e o setor privado.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Uberlândia, MG
18°
Tempo limpo

Mín. 16° Máx. 29°

18° Sensação
3.6km/h Vento
77% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h36 Nascer do sol
05h43 Pôr do sol
Sáb 29° 17°
Dom 29° 15°
Seg 30° 16°
Ter 28° 15°
Qua 28° 13°
Atualizado às 05h05
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,14 +0,01%
Euro
R$ 5,56 +0,00%
Peso Argentino
R$ 0,01 -0,36%
Bitcoin
R$ 367,285,01 +0,11%
Ibovespa
124,729,40 pts -0.73%
Publicidade
Publicidade