13°C 27°C
Uberlândia, MG
Publicidade

Câmara aprova projeto que prevê punições para invasores de terra

Nova lei prevê multas, apreensão de bens e até prisão para quem ocupar propriedades rurais ou urbanas.

22/05/2024 às 14h44
Por: Esther Vasconcelos
Compartilhe:
Projeto que prevê punições para invasores de terra / Imagem Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados
Projeto que prevê punições para invasores de terra / Imagem Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

Em uma votação que gerou divergências, a Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei destinado a punir quem promove ou realiza invasões de terras rurais e prédios públicos no Brasil. A proposta foi aprovada por 336 votos favoráveis e 120 contrários. Agora, a Câmara precisa votar alguns destaques que visam modificar o texto antes de encaminhá-lo ao Senado.

Continua após a publicidade

O projeto, denominado PL 709/2023, tem como foco principal o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), que utiliza ocupações de terras como forma de pressionar pela implementação da reforma agrária, conforme previsto na Constituição Federal. O PL estipula sanções administrativas e restrições para os ocupantes de propriedades rurais e urbanas em todo o país, com o intuito de proteger os direitos dos proprietários.

Entre as medidas previstas no projeto estão multas e outras penalidades administrativas contra o movimento social, além de mecanismos para uma reintegração de posse mais rápida, que dependerá apenas de um pedido dos proprietários.

Além disso, o projeto proíbe que participantes de ocupações ou invasões de propriedades rurais privadas, públicas ou de prédios públicos sejam beneficiários da reforma agrária, recebam benefícios do governo federal (como o Bolsa Família) ou participem de concursos públicos.

O texto também prevê uma inelegibilidade de 8 anos para a posse de cargos públicos por parte daqueles envolvidos com os assentamentos. O projeto foi apoiado por diversas legendas, exceto pelo PT, PCdoB, PV, PSB, PSOL e Rede, que orientaram voto contrário. O relator da matéria foi o presidente da Frente Parlamentar Agropecuária (FPA), deputado federal Pedro Lupion (PP/PR).

Continua após a publicidade

Essa aprovação tem gerado debates intensos, com críticos argumentando que o projeto concede carta branca aos latifundiários para realizar desocupações sem passar pelos trâmites judiciais. Por outro lado, defensores afirmam que o objetivo é assegurar o cumprimento das leis de defesa da propriedade privada já em vigor no país. Independentemente das opiniões, o PL segue para o Senado, onde será analisado.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Uberlândia, MG
25°
Tempo limpo

Mín. 13° Máx. 27°

25° Sensação
6.69km/h Vento
38% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h43 Nascer do sol
05h43 Pôr do sol
Sex 28° 16°
Sáb 28° 15°
Dom 28° 15°
Seg 29° 15°
Ter 29° 15°
Atualizado às 15h07
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,37 -0,76%
Euro
R$ 5,77 -1,41%
Peso Argentino
R$ 0,01 -0,84%
Bitcoin
R$ 379,196,41 -2,29%
Ibovespa
119,567,53 pts -0.31%
Publicidade
Publicidade